João Doria diz que críticas a Dunga em 2010 foram coisas de torcedor

Na época, o empresário publicou mensagens no Twitter chamando o treinador de teimoso e criticando a ausência de Neymar e Ganso na Copa da África do Sul

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

undefined
undefined

Convidado pela CBF para ser chefe da delegação brasileira que disputará a Copa América no Chile, o empresário João Doria Jr. explicou nesta terça-feira (26) as críticas que fez ao técnico Dunga antes da Copa de 2010.

Na época, Doria publicou mensagem no Twitter chamando o treinador de teimoso. Ele criticou a convocação de Grafite e questionou as ausências de Neymar e Ganso na Copa.

"Dunga é teimoso. Perdeu a chance de ter dois craques na seleção: Ganso e Neymar. E convocar Grafite?", escreveu.

Hoje, o empresário afirma que as críticas foram coisa de "torcedor apaixonado".

"Quando o Neymar e o Ganso não foram convocados, eu como torcedor apaixonado pelo Santos estranhei. 'Como não vamos ter o Ganso e o Neymar na seleção?' Mas não foi uma crítica pessoal. É a paixão pelo futebol. Todo torcedor quer ver grandes jogadores na seleção, e principalmente os do seu time de coração", afirmou o empresário.

O chefe da delegação brasileira aproveitou a oportunidade para elogiar Dunga e dizer que o treinador evoluiu desde a sua primeira passagem pela seleção.

"É um excelente técnico e um ótimo ser humano. O Dunga de hoje é um Dunga melhor. Mais experiente, mais articulado. É um excelente técnico", afirmou.

TRANSPARÊNCIA

João Doria afirmou que sua função como chefe de delegação na Copa América será dar mais transparência para a gestão da seleção e da CBF. Dessa forma, ele espera aproximar o setor privado da confederação.

"O Marco Polo Del Nero (presidente da CBF) quer aumentar o grau de transparência na gestão da seleção. Ele quer profissionalizar cada vez mais a gestão da seleção e da CBF. Trazer o setor privado mais próximo. Esse é fundamentalmente o papel que eu pretendo cumprir ali", disse.

Leia tudo sobre: joao doria jrdungaseleçao brasileiracriticascopa do mundo