Promotor ouve mais dois da Sudecap sobre queda de viaduto nesta semana

Depoimentos serão nesta quinta-feira (28) e sexta-feira (29); diretor da empresa e chefe do departamento de projetos de infraestrutura são os depoentes

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Duas pessoas morreram na queda do viaduto, em julho de 2014
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Duas pessoas morreram na queda do viaduto, em julho de 2014

O promotor de Defesa do Patrimônio Público, Eduardo Nepomuceno, vai ouvir mais duas pessoas, nesta semana, sobre a queda do viaduto Batalha dos Guararapes, na avenida Pedro I, no bairro São João Batista, na região de Venda Nova, em Belo Horizonte, no dia 3 de julho de 2014, que matou duas pessoas e deixou outras 23 feridas. 

De acordo com a assessoria do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), nesta quinta-feira (28), irá depor a assessora do diretor de projetos da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), Maria Geralda de Castro Bahia, e na próxima sexta-feira (29), o diretor de projetos da Sudecap, Ricardo Aroeira, será ouvido.

Relembre

Quase um ano depois da tragédia, o inquérito policial foi concluído e o resultado das investigações foi a indiciação de 19 pessoas por dolo eventual, quando assume o risco. O documento divulgado no início deste mês aponta como responsáveis, o ex-secretário de obras de BH José Lauro Nogueira Terror e os engenheiros da Cowan.

O inquérito responsabiliza três funcionários da Consol, oito da Cowan e oito da Sudecap.

Causa

Segundo o diretor do Instituto de Criminalística, Marco Paiva, a estrutura cedeu em função de um cálculo errado, que foi usado na fabricação de um bloco de concreto, que estaria no ponto central da alça sul do viaduto. Conforme as investigações, a execução da fabricação foi feita de forma correta, porém o cálculo estava errado e esse teria causado o afundamento da pilastra central. 

Leia tudo sobre: depoimentoviadutobatalha dos guararapespromotor