Com concurso parado há 5 meses, aprovados fazem manifestação

Das seis etapas do concurso, que teve início em abril do ano passado, futuros agentes penitenciários e socioeducativos estão estagnados na terceira delas desde janeiro

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Grupo protestou na manhã desta terça-feira (26) na Cidade Administrativa
LUCAS ROCHA / WEB REPÓRTER
Grupo protestou na manhã desta terça-feira (26) na Cidade Administrativa

Cansados de esperar uma posição do governo Estadual, cerca de 200 aprovados no concurso público para os cargos de Agentes Penitenciários e Agentes Socioeducativos de Minas Gerais fizeram duas manifestações diferentes, na manhã e tarde desta terça-feira (26). A primeira delas aconteceu na Cidade Administrativa, no bairro Serra Verde, na região Norte de Belo Horizonte, e a segunda teve início às 13h na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), na região Centro-Sul da capital. 

Com faixas e cartazes, o grupo de manifestantes cobra que o concurso seja retomado o mais rápido possível, uma vez que muitos deles tiveram que deixar seus empregos, e, também, que os excedentes também sejam convocados para a sexta etapa. Em março deste ano, reportagem de O TEMPO adiantou que quase 60% dos agentes do Estado são contratados e não efetivos. Para ler a reportagem clique AQUI.

O edital do concurso é de 2013, mas a prova foi realizada no dia 27 de abril do ano passado. "O edital deixava bem claro que seria divido em seis fases. Até o momento só passamos por metade do processo. Quando ligamos, afirmam apenas não há previsão para que as próximas etapas aconteçam", disse um dos aprovados, que preferiu não ter o nome divulgado. Conforme os manifestantes, cerca de 7 mil pessoas dependem do andamento do processo seletivo. 

Os aprovados já passaram pela 1ª etapa, que é a prova escrita; pelo teste físico, realizado em agosto de 2014; e, nos dias 29 e 30 de novembro do ano passado, eles ainda passaram pelo exame psicológico, que teve os resultados divulgados em dezembro de 2014 e em janeiro deste ano, ainda segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). 

Desde então, eles continuam aguardando qualquer posicionamento da secretaria sobre a continuidade do processo. A Seds foi procurada pela reportagem, porém, ainda não se posicionou sobre o ato dos aprovados no concurso.