Manor, ex-Marussia é isenta de culpa em acidente de Villota

Piloto sofreu sérios danos neurológicos no incidente em 2012 e faleceu menos de um ano depois

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Maria era filha do ex-piloto de Fórmula 1 Emilio de Villota
NEWSCHIP/REPRODUÇÃO
Maria era filha do ex-piloto de Fórmula 1 Emilio de Villota

A Manor, antiga Marussia, foi isenta de qualquer culpa no acidente da piloto de testes María de Villota, em 2012. O Diretório de Saúde e Segurança britânico (HSE), entidade que investiga o caso, afirmou nesta terça-feira que a equipe não será responsabilizada pelo ocorrido. A espanhola faleceu em 2013, com 33 anos, em decorrência das graves lesões neurológicas sofridas na batida.

“A investigação está completa agora, e nenhuma medida legal será tomada. Tanto a companhia quando a família da vítima já foram informadas”, explicou um porta-voz da HSE à “BBC”.

Em 2012, a corredora fazia um teste aerodinâmico com o carro da equipe, no aeroporto de Duxford, em Cambrigde, na Inglaterra, quando atingiu um caminhão da escuderia, que estava estacionado aguardando  justamente para levar o bólido de volta à fábrica. 

Porém, testemunhas disseram que o carro da Marussia causou o acidente, após acelerar repentinamente, fazendo com que a piloto perdesse o controle do bólido e se choca-se contra o caminhão da escuderia.

Villotta ficou 17 dias internada no hospital de Addenbrooke, da Universidade de Cambrigde. A piloto teve diversas cicatrizes, mas o maior dano foi a perda do olho direito. Em 2013, a corredora foi encontrada morta em um hotel em Sevilla, na Espanha.  

Leia tudo sobre: maria de villotaformula 1manormarussiainvestigaçao