Onda de calor mata 500 na Índia

Temperatura começou a subir em abril e chega a 48º C em algumas regiões

iG Minas Gerais |

Em Bhubaneswa, oeste da Índia, a temperatura passou de 40ºC
ASIT KUMAR/afp
Em Bhubaneswa, oeste da Índia, a temperatura passou de 40ºC

Nova Dheli, Índia. Ao menos 500 mortes foram atribuídas à onda de calor que tem atingido a Índia nos últimos dias, quando a temperatura chegou a 48ºC em algumas áreas do país.

De acordo com a rede de TV britânica BBC, a maioria das vítimas vivia nos Estados de Telangana e Andhra Pradesh, sul do país, onde mais de 140 morreram desde sábado. O forte calor começou em meados de abril, mas a maior parte das mortes ocorreram na última semana.

Em Andhra Pradesh, já foram registradas 246 vítimas na semana passada. Autoridades disseram que 62 morreram no domingo de insolação. O governo tem pedido que cidadãos evitem ir para a rua e bebam bastante líquidos.

Em Nalgonda, no recém-criado Estado de Telangana, os habitantes estão acostumados às altas temperaturas do verão. Mas a intensidade da atual onda de calor fez com que o empresário Ravinder Reddy ficasse confinado em casa durante uma semana. “Dois de meus funcionários estão no hospital por causa de insolação”, disse ele à BBC.

O agricultor Ahmed Pasha afirma que não há mais água em sua terra nem em seu poço. “Secou tudo, e perdi metade da grama que tinha cultivado para dar aos búfalos e às cabras.”

Segundo P. Tulsi Rani, comissário especial do departamento de gerenciamento de desastres de Andhra Pradesh, “a maioria das vítimas são pessoas que ficaram expostas diretamente ao sol, normalmente têm mais de 50 anos e são da classe trabalhadora”.

Tornado atinge México e EUA Um tornado atingiu Acuña, na fronteira do México com os Estados Unidos, nesta segunda, matando ao menos 11 pessoas, além de destruir casas, atirar carros para o alto e arrastar um bebê dos braços de sua mãe. No Texas, 12 pessoas desapareceram após as inundações antes do tornado. As tempestades foram do Golfo do México aos Grandes Lagos.

Nepaleses, enfim, voltam para casa Katmandu, Nepal. Um mês após o maior terremoto em 80 anos no Nepal, milhares de nepaleses puderam voltar para suas aldeias nesta segunda, depois que o rio Kaligandaki varreu o resto dos deslizamentos de terra que haviam bloqueado a passagem, permitindo que as águas fluam normalmente. Antes do amanhecer de domingo, o deslizamento de terra estava represando o rio Kaligandaki e criou um lago de 2 km de comprimento. Milhares de moradores fugiram de suas casas, temendo inundações. No entanto, durante a noite, o rio levou as pedras e outros detritos e, nesta segunda de manhã, o rio estava fluindo em seu nível normal, de acordo Tek Bahadur, administrador do governo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave