Willians: um volante que 'conduz' a máquina azul

Atleta, que se destaca na marcação, também arrisca chutes de fora da área e faz bons lançamentos para os companheiros

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA E GUILHERME GUIMARÃES |

Willians segue mostrando, além de muita raça, técnica e qualidade nos lançamentos
Anibal Greco/Light Press/Cruzeiro
Willians segue mostrando, além de muita raça, técnica e qualidade nos lançamentos

Ele não tem medo de cara feia. Pelo contrário, ele a encara de peito aberto e responde na mesma moeda. Alem da inquestionável raça empregada em cada partida, ele também tem contribuído, e muito, na armação de jogadas, com lançamentos e até mesmo com chutes de fora da área. Esse é Willians, o verdadeiro “cão de guarda”, jogador que se transformou em um dos símbolos, um verdadeiro termômetro, desse novo Cruzeiro, um time mais brigador e que vem encarnando, a cada duelo decisivo, o espírito de Libertadores que muitos cobravam.

Nas duas últimas temporadas, o Cruzeiro conservou em seu plantel volantes com características mais técnicas, como por exemplo Lucas Silva e até mesmo Nilton. No entanto, nenhum desses atletas, inclusive o titular absoluto Henrique, se aproximavam do nível de combate do ex-meio campista colorado, contratado no início desta temporada.

“O Willians é um jogador de muita marcação. Ano passado, nós tínhamos o Nilton, que também é de muita marcação. Mas o Willians e Henrique casaram bem porque o Henrique sai bem para o jogo, e o Willians é forte na marcação”, analisa o zagueiro Manoel, que ainda destaca todo o envolvimento do atual plantel com a marcação.

“Nosso time tem mais pegada neste ano. Os dois jogam forte e se entendem. A marcação é ajudada pelos homens de ataque também. O Damião corre muito, Marquinhos também. A bola sempre chega mascada e facilita o trabalho dos volantes e dos zagueiros”, completa Manoel.

Em alta na Toca, Willians recebe os elogios com satisfação. Mas ele também sabe que a caminhada é longa. Por isso, o foco precisa ser total para seguir firme na Libertadores.

“A equipe vem crescendo a cada dia, com grande atuações contra São Paulo e River. O time vai pegando uma cara nova e um corpo. Hoje, pode-se dizer que sabemos jogar bem dentro e fora de casa. É fazer um grande jogo na quarta e buscar a classificação”, finaliza Willians. 

Leia tudo sobre: futebol nacionalcruzeiroraposawilliansriver plate