Setor pede redução do compulsório

iG Minas Gerais |

São Paulo. O volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis recuou pela primeira entre janeiro e março deste ano desde 2002. Foram liberados cerca de R$ 24 bilhões, queda de 4,6% em um ano.

Entre as reivindicações do setor está a liberação pelo Banco Central de uma parte dos 20% dos recursos da poupança que os bancos são obrigados a deixar na instituição (chamados de depósitos compulsórios), para que eles usem esse dinheiro para conceder financiamentos a casas populares.

Hoje, executivos das principais incorporadoras se reunirão com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, para tratar dessas questões.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave