Sete presos são mortos em rebelião na Bahia; dois foram decapitados

Familiares dos presos - era dia de visitas - estão sendo feitos de reféns dentro da unidade prisional

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Uma rebelião no presídio regional de Feira de Santana (109 km de Salvador) deixou pelo menos sete presos mortos, sendo dois decapitados, neste domingo (24).

A informação foi confirmada pela Secretaria de Administração Penitenciária do governo da Bahia, que ainda informou que há cinco presos feridos.

Familiares dos presos - era dia de visitas - estão sendo feitos de reféns dentro da unidade prisional. Presidente do sindicato dos Penitenciários da Bahia, Wellington Vasconcelos, confirma que nenhum agente penitenciário foi ferido ou feito refém.

O motim começou na tarde deste domingo no pátio do presídio após uma briga entre duas facções rivais.

"Infelizmente, foi uma fatalidade. Os presos iniciaram uma briga e começaram a se matar", afirmou o secretário estadual de Administração Penitenciária, Nestor Duarte.

A Polícia Militar foi chamada para conter a rebelião. Três armas de fogo, além de facas, foram apreendidas.

Segundo o coronel Paulo César, coordenador de planejamento da Secretaria de Administração penitenciária, os presos já concordaram em encerrar a rebelião.

Contudo, com medo de retaliações, exigiram a presença da imprensa, advogados e militantes dos direitos humanos no presídio para liberar os reféns e liberar a entrada da polícia no local.

O Presídio Regional de Feira de Santana tem capacidade para 616 vagas, mas abriga mais de mil presos.

Segundo o secretário Nestor Duarte, uma obra que vai ampliar o número de vagas para 1.300 já foi concluída, mas ainda não foi inaugurada.

Leia tudo sobre: presosmortesdecapitadosBrasilBahia