Empresas celebram o sucesso

Planejamento de excelência revela resultados bastante duradouros na área

iG Minas Gerais | Juliana Siqueira |

Fortalecimento. Empresas que integram o Vale da Eletrônica têm investido em mão de obra
Sindvel / Divulgacao
Fortalecimento. Empresas que integram o Vale da Eletrônica têm investido em mão de obra

Planejamento, investimento em novos mercados, profissionalização, busca pela fabricação de produtos diferenciados, capazes de atrair cada vez mais consumidores. Essas são algumas das palavras de ordem que têm alcançado grande poder dentro das empresas e mostrado como elas são importantes diante de diferentes tipos de cenário.

Não é de hoje que um número significativo de indústrias já percebeu que não basta ter planos de ação emergenciais para gerenciar oscilações econômicas. É preciso agir mesmo quando a conjuntura parece ser a melhor possível, contando também com a imprevisibilidade do mercado, conforme frisam os especialistas.

A Plena Alimentos é um exemplo disso. Há anos ela vem investindo pesado em diferentes setores. “A empresa obteve as habilitações para exportação em 2013 e tem trabalhado os mercados de fora. Hoje, o mercado interno ficou mais restrito para o consumo, e o excedente que a empresa gerava, que teria de ser colocado a preços mais baixos, ela consegue mandar para fora do Brasil”, destaca Marcos Antônio de Faria Maia, sócio-diretor da empresa.

Esse esforço em conquistar novos mercados rendeu muito: só neste ano, a Plena Alimentos já conseguiu um aumento de 35% nas exportações. Além disso, a profissionalização da gestão tem sido algo bem focado na organização nos últimos anos. “Na estrutura organizacional, a empresa trouxe profissionais de outros segmentos, formando o corpo diretivo. A Plena Alimentos analisa a capacidade profissional que eles têm de transformar a empresa. Investimos na capacitação técnica, no corpo gerencial e de produção”, salienta Maia, que comprova os resultados: só em 2015, o crescimento do faturamento já é de 11%.

O sócio-diretor ainda lembra que, caso não houvesse um bom planejamento, a empresa poderia sofrer grandes perdas em momentos de dificuldade. “Quando o consumidor possui produtos substitutos mais baratos, como a carne de frango ou suína, o mercado de carne bovina sente, já que o produto possui um valor mais alto, é um item caro. As pessoas costumam migrar. Mas a Plena se preparou e consegue manter seus números positivos. Contamos com muitos itens no portfólio e linhas novas, o que é bastante favorável para os consumidores”, diz.

Riquezas. O Vale da Eletrônica, localizado em Santa Rica do Sapucaí, é um dos principais polos de tecnologia do Brasil e conta com 153 empresas. Lá, os números também têm se revelado altos. Conforme frisa Roberto Pinto, presidente do Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica (Sindvel), neste ano o núcleo deve crescer 15% em contratações.

“Investimos muito em formação de mão de obra, na melhoria dos processos produtivos e até mesmo nas mudanças no design dos itens, já que, se o consumidor não vê um produto bonito, muitas vezes ele não o compra”. Só no ano passado, o polo faturou R$ 3 bilhões e deve apresentar, até o fim do ano, um crescimento de 12% no faturamento.

Demanda. A Inovar Ambiental, empresa que atua no gerenciamento e tratamento de resíduos com os serviços de coleta, armazenamento e destinação final de resíduos industriais, tem se deparado com uma boa demanda, principalmente porque, de acordo com Rafael Marques, gerente comercial da empresa, o mercado está cada vez mais cumprindo as exigências em relação ao tema. “Os nossos serviços tornam-se um diferencial”, frisa ele. “A empresa vem apresentando crescimento”, completa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave