Pop e erudito numa coisa só

Marcos Braccini lança álbum “Wiara”, dedicado à música contemporânea de câmara, amanhã, na Fundação Artística

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Conceito. Marcos Braccini subirá ao palco para interpretar apenas três das cerca de 11 canções presentes no espetáculo “Wiara”
RENATO SARIEDDINE ARAUJO
Conceito. Marcos Braccini subirá ao palco para interpretar apenas três das cerca de 11 canções presentes no espetáculo “Wiara”

Há dez anos, Marcos Braccini começou a mostrar que a música erudita e a popular são indissociáveis para ele. Em “Noturno” (2014), seu álbum de estreia, a canção poética foi protagonista majoritária nos arranjos eruditos de cordas e piano. Amanhã à noite, porém, esse processo se inverte. “Wiara”, segundo álbum do cantor e compositor mineiro, que será lançado em show no Teatro da Fundação de Educação Artística de Belo Horizonte (FEA), é todo composto de arranjos instrumentais de música contemporânea de câmara escritos por ele – mas, claro, com uma influência nitidamente popular.

Esse olhar atento para captar a confluência do pop e do erudito fizeram de Marcos Braccini um artista plural, graduado em composição pela Escola de Música da UFMG, mas também interessado em despejar criatividade com o rock n’ roll do Junkie Dogs e o experimentalismo contemporâneo do Derivasons, que foi levado a alguns países, entre eles Cuba – seus dois projetos paralelos.

Para ele, sua carreira fecha um ciclo agora, quando “Noturno” e “Wiara” finalmente se encontram, fazendo a ponte entre suas diversas experiências. “Um não seria possível sem o outro. O ‘Wiara’, inclusive, veio até antes do ‘Noturno’. Foi a partir dos meus estudos em composição, testando experimentações mais eruditas desse disco, mas com a minha bagagem de canção popular, que vi como podia mostrar a naturalidade em comum entre esses dois estilos”, diz o músico.

Gravado ao vivo, “Wiara” terá um show rigoroso, com o registro do álbum a ser interpretado na íntegra na FEA. O curioso da apresentação é que Braccini acompanhará quase todo o espetáculo da plateia. Isso porque, de dez obras, em oito a música contemporânea de câmara instrumental aparece absoluta e interpretada por um competente time de músicos, desde arranjos de cordas como violinos e violoncelos dramáticos até assobios, oboés e pianos experimentais. “Eu não domino esses instrumentos e a intenção não era essa. Escrevi os arranjos para oboé da mesma forma que fiz para violino, pensando a maneira popular da música chegar às pessoas”, avalia Braccini.

Músicos. No palco, Braccini conta com todos os 14 instrumentistas que gravaram “Wiara”, a exemplo do regente convidado Daniel Magalhães e do arranjador Rafael Martini (piano), além de alguns experientes integrantes da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, como o alemão Frank Hämmer (violino), a polonesa Katarzyna Druzd (viola) e a sérvia Jovana Trifunovic (violino).

Apenas três músicas do repertório são cantadas por ele, como “Mãos Vazias”, com participação da cantora Leopoldina, e “Noturno” – ambas presentes em seu primeiro disco –, além da inédita “Nas Marés”, interpretada por Braccini, com apoio de um quinteto de cordas. “Essa música representa o todo, meu lado compositor popular e os arranjos de cordas para música de câmara. Mostra o quanto é possível transitar pelos universos instrumentais e da canção ao mesmo tempo”, avalia Braccini.

Durante todo o show, as artistas visuais Sara Lana e Aline Xavier vão manipular enormes projeções pelo Teatro da Fundação, bem ao estilo do que foi visto nas apresentações de “Noturno”, onde, pouco a pouco, imagens sombrias dialogavam com cores mais vibrantes.

“Posso dizer que são shows irmãos, com linguagens bem comuns em ambos. E o efeito visual, que é indispensável para o espetáculo como um todo, completando a sensação das músicas, também será provocativo, tanto quanto o som”, avisa.

Agenda

O QUE. Marcos Braccini lança o álbum “Wiara”

ONDE. Teatro da Fundação de Educação Artística de BH (rua Gonçalves Dias, 320, Funcionários)

QUANDO. Amanhã, às 20h

QUANTO. R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)

Projetos

Mais ações. Marcos Braccini também pretende lançar no segundo semestre deste ano um documentário inspirado no álbum “Noturno”. Além disso, os shows do álbum “Wiara” acontecem simultaneamente a algumas apresentações de “Noturno”, como o músico fez recentemente em sua estreia no Rio de Janeiro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave