Para celebrar Chico Xavier

iG Minas Gerais | Fabiana Senna |

Elenco do espetáculo apresenta no palco a herança deixada pelo ícone do espiritismo
André Carvalho/ Divulgação
Elenco do espetáculo apresenta no palco a herança deixada pelo ícone do espiritismo

 

Para os devotos mais fervorosos, ele foi uma espécie de mártir. Para os descrentes, no mínimo, uma personalidade intrigante. Fato é que o legado deixado pelo médium Chico Xavier (1910-2002) ultrapassa as barreiras religiosas. Uma vida dedicada a difundir o kardecismo e a fazer obras de caridade, e que já inspirou muitas gerações e artistas. Parte dessa influência será retratada no palco com o musical “Chico Xavier – No Céu da Vibração”, que estreia em Belo Horizonte, nesta quarta (27), e fica em curta temporada até domingo (31), no Cine Theatro Brasil. A peça marca a primeira produção do Circuito BroadUAI, que fomentará no Estado o teatro musical e o entretenimento.   “Quem assistir ao espetáculo verá o lado dramático da vida do médium e também o seu lado doce e bem-humorado”, garante Dilson Mayron, que divide a direção com o maestro Daniel Kostás. Em cena, uma biografia não linear, com texto de Selhe Mapér, baseado no livro “Chico Xavier – Meus Pedaços do Espelho”, de Marlene Nobre. “Procuramos trazer para as cenas não detalhes da sua vida e obra, mas o que ele despertou em nós”, pondera Kostás.   Na trilha sonora, músicas compostas em homenagem ao médium: “Chico Xavier”, de Fábio Junior, e “No Céu da Vibração”, música de Gilberto Gil interpretada por Elis Regina em um especial de celebração aos 80 anos do médium e que dá nome ao espetáculo. Também no repertório, as músicas que Chico Xavier mais gostava: “Nossa Senhora”, de Roberto e Erasmo Carlos, e “Lili (Hi-lili Hi-Lo)”, que foi regravada por Gal Costa. No total, 32 canções das quais algumas foram produzidas especialmente para o espetáculo, pelo maestro curitibano Plínio Oliveira.   Legado do bem Toda a renda arrecadada nas bilheterias será destinada a instituições filantrópicas com trabalhos sociais no Brasil e na África. “Não poderíamos lidar com essa homenagem de outra forma. É a continuidade do trabalho de Chico também por meio dos palcos”, pondera Dilson Mayron. Ainda hoje, as entidades mantidas pela obra de caridade do médium recebem verbas dos direitos autorais de venda de seus mais de 450 livros psicografados   Chico Xavier – No Céu da Vibração Cine Theatro Brasil Valourec (r. Carijós, 258, centro, na praça Sete, 3201-5211). De 27 a 30 (quarta a sábado), às 20h30, dia 31 (domingo), às 19h. R$ 100 (inteira, 1º lote).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave