Costa do Descobrimento

iG Minas Gerais |

As praias mais perto para os belo-horizontinos estão na Costa do Descobrimento, na Bahia, estando acessíveis a apenas uma hora em voo direto de Confins à Porto Seguro. Embora as opções sejam muitas, em pouca estrada, a única semelhança entre elas está na exuberância do litoral. Enquanto o Quadrado de Trancoso continua preservado e bonito, sediando hoje lojas de grifes e restaurantes descolados, a região de Santo André cresce a cada dia depois que hospedou os alemães para a Copa do Mundo. O Outeiro das Brisas tem estrutura paulistana com direito a heliporto, campos de golfe e polo. A praia do Espelho é uma referência com uma pegada mais alternativa, e Caraíva tem uma atmosfera única na singularidade de uma vila com iluminação indireta (vive na penumbra), ruas de areia e ausência de carros. Reduto hippie nos anos 70, o Quadrado de Trancoso mantém todo o seu aspecto original de antiga vila de pescadores, mas hoje lembra um balneário da Côte d’Azur pelo agrupamento de lojas de grifes, público endinheirado e restaurantes caros. O Capim Santo continua sendo o destaque, como são também Thaicoso, Delícia da Praça, La Cevicheria, La no Dom (sanduíches), O Cacau e o Sabor da Bahia, com opções que vão da cozinha regional à asiática, pizza chique e comida peruana. Em Santo André come-se bem no Bar do Rio, Casa Praia, El Floridita (na Pousada Corsário), Gaivota, Maria Nilza e Oficina do Sabor. Já em Porto Seguro, embora não seja uma referência gastronômica, há boa cozinha em Cabana Malibu, Canto Italiano, Casa da Esquina, Casa Dedo de Moça e nos doces portugueses do A Torre. Tudo nas pequenas vilas e cidades da Bahia convida para o relaxamento completo. Os programas em Caraíva, por exemplo, são subir o rio remando em cima de uma prancha (ou descê-lo de boia no fluxo da correnteza), fazer a clássica caminhada de três quilômetros por várias praias até a antiga barraca do Satú, cavalgar até a praia do Espelho e ir de barco até Corumbal (com a histórica vista do Monte Pascoal) para comprar camarão recém-pescado e cozinhá-lo. E, claro, comer o pastel no Bar do Pará, e a pizza do Bar do Porto. É compreensível o choque cultural dos portugueses quando chegaram à Costa do Descobrimento; as praias são imensas, há pequenos rios e manguezais por todo lado, o calor é morno, e a brisa é fresca. Embora seja um voo rápido, a sensação é quase de uma viagem internacional, a diferença das culturas, da gastronomia e dos comportamentos mineiro e baiano é enorme. Arraial d’Ajuda pode ter virado um novo Cabo Frio. É comuns os mineiros levarem seus hábitos locais para as casas de praia, mas o melhor é experimentar o que o lugar tem a oferecer e perder o medo do coentro e do dendê. Afinal, como dizia Dorival Caymi “a Bahia tem um jeito que nenhuma terra tem”.

Receita MOQUECA DE CAMARÃO INGREDIENTES 1 kg de camarão, sal e pimenta-do-reino branca moída na hora, 3 cebolas em rodelas, 3 tomates maduros em rodelas, 6 dentes de alho picados, 2 colheres (sopa) de coentro picado, 2 colheres (sopa) de cebolinha picada, 1 colher (sopa) de hortelã picada, 1 colher (sopa) de salsinha picada, suco de 2 limões, 2 garrafas de leite de coco, 1/3 xícara de azeite de dendê. Preparo da moqueca Em uma panela, aqueça o azeite e doure bem a cebola e o alho por cerca de 8 minutos. Acrescente o tomate e doure por cerca de mais 5 minutos. Coloque o suco de limão, as ervas picadas e o leite de coco e misture, cozinhando por mais 2 minutos. Retire do fogo, deixe esfriar um pouco e bata tudo no liquidificador para obter um molho homogêneo. Coloque o molho de volta na panela, tempere com sal e pimenta-do-reino e aqueça-o. Finalização Tempere os camarões com sal e pimenta-do-reino dos dois lados e coloque-os na panela. Cozinhe por 5 minutos. Retire do fogo e sirva.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave