Chilena esfaqueada durante assalto no Rio diz que permanecerá no país

Jovem está no país há dois meses, vivendo num hostel na Lapa, e disse que pretende ficar por mais dois anos, tempo em que pretende concluir seus estudos

iG Minas Gerais | Folhapress |

A chilena Isidora Ribas Carmona, 32, que foi esfaqueada durante um assalto, na manhã desta sexta (21), numa praça no centro do Rio, diz que o crime não a fez desistir de permanecer no Brasil.

A jovem está no país há dois meses, vivendo num hostel na Lapa, e disse que pretende permanecer no país por dois anos, tempo em que pretende concluir seus estudos.

Ela teve um ferimento no pescoço e recebeu alta do Hospital Souza Aguiar durante à tarde. Foi levada para a Deat (Delegacia de Apoio ao Turista), no Leblon (zona sul), onde ainda prestava depoimento no início da noite. O bandido que a feriu fugiu, levando o leitor de livros digital da jovem.

"Estava deitada lendo com o meu kindle. Estava com o meu cachorro e minha bicicleta. Ele veio por trás com uma faca e eu comecei a gritar. Ele mandou eu ficar quieta, dizendo que ia me matar, e foi embora com o meu kindle. Como eu não parava de gritar, ele ficou muito bravo, aí voltou e me deu a facada."

Testemunhas dizem que o homem deixou a praça caminhando sem pressa em direção ao bairro da Lapa. Segundo essas pessoas, ele aparentava ser maior de idade. O assaltante deixou a praça por um buraco na grade aberto por uma barra quebrada.

A polícia informou que tem 12 homens patrulhando a região do parque e que está fazendo um cerco no bairro da Lapa para tentar identificar o criminoso.

A agressão a jovem ocorreu dois dias depois de um médico morrer após ser esfaqueado numa tentativa de assalto na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio.

Nos primeiros quatro meses de 2015, 433 pessoas foram feridas por arma branca no Rio. No mesmo período do ano passado, foram 588.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave