Laudo sobre promotor argentino é concluído, mas divergência continua

Documento ficou pronto após quatro meses da morte de Alberto Nisman

iG Minas Gerais | Folhapress |

Polícia descobre nova arma em caso de promotor morto na Argentina
LA NACION / Fabián Marelli
Polícia descobre nova arma em caso de promotor morto na Argentina

Laudo preparado pela junta médica convocada pela promotora Viviana Fein para esclarecer as circunstâncias da morte do promotor Alberto Nisman não chegou à conclusão de que ele teria sido assassinado.

Quatro meses após a morte de Nisman, o grupo de especialistas forenses finalmente concluiu o seu laudo. Eles preparavam o estudo havia três semanas, e o objetivo era confrontar as perícias oficial e paralela -a segunda foi encomendada pela ex-mulher do promotor, Sandra Arroyo Salgado.

O laudo ficou pronto, mas a divergência prossegue. Isso porque os dois peritos da parte de Salgado, que faziam parte da junta, se recusaram a participar da redação final do documento. Eles entregaram à promotoria a sua versão, em um envelope fechado. Desde que começaram a atuar na causa, eles sustentam que Nisman foi assassinado.

Os demais 13 investigadores, por sua vez, entregaram o laudo nesta quarta (20) à promotora Fein, cuja conclusão é que nenhuma das hipóteses deve ser descartada.

Outra diferença que se mantém é a hora da morte do promotor. Os peritos contratados por Salgado afirmam que Nisman morreu na noite de sábado (17 de janeiro), e os peritos oficiais sustentam que teria sido no domingo (18).

Fein divulgou uma nota nesta quinta (21) explicando os detalhes do "racha" técnico. A promotora informou que os peritos da parte não participaram de uma reunião marcada para a última sexta-feira (15) e sua ausência foi registrada em ata.

Os demais lhe entregaram um relatório com 203 páginas nesta quarta (20). A partir de agora, Fein vai trabalhar sobre as conclusões, e um relatório de análise criminalística (que busca verificar como teria ocorrido a ação de assassinato ou suicídio) deve ficar pronto no início de junho.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave