Casos de dengue entram em ritmo de queda, mas mortes chegam a 13 em SP

Morreram 13 pessoas para 57.794 casos, contra 14 mortes em 29.011 casos em todo o ano passado

iG Minas Gerais | Folhapress |

Maior preocupação da Secretaria Estadual de Saúde é com o combate aos mosquitos  Aedes Aegypti e Aedes albopictus, ambos transmissores do vírus e presentes em mais de 80% dos municípios mineiros
Maior preocupação da Secretaria Estadual de Saúde é com o combate aos mosquitos Aedes Aegypti e Aedes albopictus, ambos transmissores do vírus e presentes em mais de 80% dos municípios mineiros

Os casos confirmados de dengue na cidade de São Paulo entraram em tendência de queda, segundo dados da prefeitura. Apesar disso, o último balanço, divulgado nesta quinta-feira (21), aponta que o total de mortes causadas pela doença já chega a 13.

Depois de atingir um pico em abril, com 8.127 casos confirmados em uma única semana, os registros da doença na capital paulista caíram para 2.122 na segunda semana de maio.

De acordo Paulo Puccini, secretário-adjunto de Saúde da capital, a tendência de queda vai continuar. A situação epidêmica deste ano, segundo ele, está "muito próxima do final". Entre os fatores que estão contribuindo para isso está o clima mais frio e a redução das chuvas.

O gestor preferiu não afirmar que a doença, neste ano, "está sob controle". Mas em termos relativos, relacionando as perdas de vida com o número total de casos, a epidemia do ano passado ainda pode ser considerada mais letal.

Agora, morreram 13 pessoas para 57.794 casos, contra 14 mortes em 29.011 casos em todo o ano passado. A prefeitura ainda investiga 24 mortes.

Apesar do otimismo, Puccini voltou a bater na tese de que a crise hídrica na Grande São Paulo vai continuar a turbinar os casos de dengue no verão de 2016. "A doença será um problema no ano que vem. Precisamos estar todos alertas novamente", disse.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave