Secretário promete mais 15 mil vagas em presídios de MG até 2018

Nos próximos seis meses, a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) pretende criar de 3.000 a 4.000 mil novas vagas em cadeias do Estado

iG Minas Gerais | ALINE DINIZ |

Fechado. 
Ceresp Gameleira foi interditado em abril
LEO FONTES / O TEMPO
Fechado. Ceresp Gameleira foi interditado em abril
O secretário de Estado de Defesa Social, Bernardo Santana, anunciou na manhã desta quinta-feira (21), em uma audiência pública da Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa, que até o fim dos quatro anos da gestão de Fernando Pimentel (PT), 15 mil novas vagas devem ser criadas no sistema prisional mineiro.   Em seis meses, a expectativa é que haja a disponibilização de um número entre 3.000 e 4.000 de novas vagas. “São poucas para o déficit, mas é muito para seis meses”, considera Santana. Com relação ao sistema socioeducativo, a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), quer reduzir, até o fim de 2015, a carência de 1.000 locais de internação para 500 (50%).    Para conseguir alcançar esses objetivos, algumas medidas – anunciadas na força tarefa montada pelo Estado na última semana– estão sendo tomadas como: retomada de obras paradas, aumento do número de vagas onde o presídio oferece infraestrutura e mapeamento de cadeias do Estado que estão abandonadas.   Porém, o secretário não detalhou onde essas cadeias serão construídas, ele só informou que serão “em diversas regiões do Estado”. Não houve votação de nenhum requerimento relacionado à segurança pública ao fim da audiência.    Conflito   Antes do início da audiência pública, seguranças da Casa pediram para que a imprensa e demais interessados se retirassem do plenário já que  os participantes da comissão – sargento Rodrigues (PDT), João Leite (PSDB), cabo Júlio (PMDB) e Celise Laviola (PMDB) – haviam votado por uma reunião fechada.   Depois da chegada do secretário, houve um  debate dentro da sala, e a audiência foi aberta ao público. O deputado João Leite preferiu não participar da reunião, que começou com quase uma hora de atraso.    Força Tarefa

Força-tarefa instituída na última  quinta pelo governador Fernando Pimentel (PT) pretende mudar o cenário de cadeias abarrotadas e amenizar a crise do sistema prisional de Minas Gerais. O intuito é unir secretarias para diagnosticar, em até 90 dias, as deficiências de presídios e unidades socioeducativas e propor medidas emergenciais que reduzam o déficit de vagas. A decisão ocorre no momento em que o sistema carcerário tem 26 mil detentos além da capacidade.  

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave