CPI marca depoimento de ex-representante da SBM Offsohre para junho

Nesta quarta-feira, Motta encaminhou um pedido de prisão de Julio Faerman para a Polícia Federal (PF) e a Interpol e sua condução para depor na comissão

iG Minas Gerais | Agência Brasil |

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, Hugo Motta (PMDB-PB), disse nesta quarta-feira (20) que o depoimento do ex-representante da empresa holandesa SBM Offshore, Julio Faerman, na comissão será no dia 3 de junho. “Não faço antes porque toda a agenda da CPI está comprometida, todos os dias temos oitivas”, disse o presidente.

Nesta quarta-feira, Motta encaminhou um pedido de prisão de Faerman para a Polícia Federal (PF) e a Interpol e sua condução para depor na CPI. Em seguida, os integrantes da comissão também aprovaram requerimentos convocando os filhos de Faerman, Marcelo e Eline, para depor na CPI, além do sócio do lobista, Luiz Eduardo Barbosa.

Após a aprovação, o advogado de Faerman encaminhou um documento para a comissão dizendo que o lobista está disponível para depor no colegiado.

O pedido para a prisão de Faerman ocorre após a CPI ter colhido o depoimento do ex-executivo do SBM Offshore Jonathan David Taylor, em Londres. Na avaliação dos parlamentares da comissão, as declarações de Jonathan Taylor incriminaram ainda mais Faerman. Segundo Taylor, a SBM teria entregue a Faerman U$ 139 milhões para pagamento de propina a diretores da Petrobras em troca do favorecimento em contratos com a estatal.

De acordo com Lorenzoni, o ex-executivo teria citado Marcelo e Luiz Eduardo como operadores do esquema. Já a filha de Faerman foi convocada por ser sua secretaria e estar a par da agenda do lobista.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave