Baixa vazão deixa o rio das Velhas em Estado de Atenção

Média dos últimos sete dias ficou abaixo de 200% da menor média registrada nos últimos 10 anos, acendendo o alerta do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam)

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Contagem recebe na quarta-feira (13) Seminário Meta 2010 do Rio das Velhas
CHARLES SILVA DUARTE
Contagem recebe na quarta-feira (13) Seminário Meta 2010 do Rio das Velhas

O rio das Velhas, que é responsável por 40% do abastecimento da região metropolitana de Belo Horizonte e por 60% da água que é distribuída na capital, está em Estado de Alerta desde a última segunda-feira (18) devido à baixa vazão registrada.

O Estado de Atenção é o estado de vazão que antecede a situação crítica de escassez hídrica e seu Estado de Alerta, conforme foi regulamentado pela Deliberação Normativa 49/2015, do Conselho Estadual de Meio Ambiente do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam).

Segundo o Igam, o Estado de Atenção se caracteriza quando a média das vazões diárias de 7 dias consecutivos, observadas no posto de monitoramento fluviométrico de referência, estiver inferior a 200% da Q7,10 – menor média registrada no período de sete dias dos últimos 10 anos – que atualmente está em 20,5 m³/s conforme o instituto.

Entre o dia 12 de maio e a última segunda-feira, a vazão do rio das Velhas estava respectivamente em 19,5 m³/s; 20,20 m³/s; 19,50 m³/s; 16,70 m³/s; 18,20 m³/s; 15,30 m³/s e 15,80 m³/s. A média destes sete dias fica em 17,8 m³/s, abaixo dos 200% da Q7,10, o que leva ao Estado de Atenção.

FOTO: REPRODUÇÃO / COPASA TRANSPARENTE Gráfico mostra vazão do rio das Velhas nos últimos 30 dias

Por enquanto, ainda de acordo com o Igam, nenhuma medida será tomada com relação às outorgas de captação de água, uma vez que somente no estado de escassez, quando a média da vazão atinge 100% da Q7,10, que é de 10,25 m³/s.

Caso a situação da vazão do rio das Velhas atinja este ponto, será emitida uma portaria restringindo o uso das outorgas. As concessões feitas são analisadas caso a caso e, dependendo da situação da bacia, a equipe técnica avalia se haverá outorga ou não em cada porção hidrográfica.

Reservatórios

Ao mesmo tempo, os três reservatórios que compõem o Sistema Paraopeba (Rio Manso, Serra Azul e Vargem das Flores) seguem em estado de escassez hídrica desde abril deste ano, quando o Igam lançou a portaria 12/2015, que foi prorrogada no início deste mês pela portaria 17/2015 do instituto. Nesta quarta-feira (20), o sistema tinha 38,6% de sua capacidade.

Dos três, o que reservatório em situação mais crítica é o Serra Azul, que tem 15,9% de sua capacidade total, seguido do Vargem das Flores (40,5%) e do Rio Manso (51,5%). Há um mês, no dia 20 de abril, o Sistema Paraopeba tinha 39% da capacidade, tendo mantido o índice ao longo dos últimos 30 dias.

Leia tudo sobre: vazãorio das velhasbaixaestado de atençãoalertaigamabaixo