Audiência debate uso de drogas na UFMG e policiamento é reforçado

ALMG sediou audiência sobre o assunto nesta quarta-feira e reitoria disse que algumas medidas serão adotadas ainda este ano, mediante conversa com a comunidade acadêmica

iG Minas Gerais | LUIZA MUZZI |

CIDADES : UFMG - JOAO PINHEIRO - BELO HORIZONTE - MG . Fotos de adolescentes fumando maconha na Faculdade de Direito da UFMG . 
FOTOS: JOAO GODINHO / O TEMPO / 04.05/2015
JOAO GODINHO / O TEMPO
CIDADES : UFMG - JOAO PINHEIRO - BELO HORIZONTE - MG . Fotos de adolescentes fumando maconha na Faculdade de Direito da UFMG . FOTOS: JOAO GODINHO / O TEMPO / 04.05/2015

Uma audiência na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realizada na manhã desta quarta-feira (20) sobre o consumo de drogas na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) terminou com a promessa de mais um aumento de policiamento no campus e a disponibilidade da Polícia Militar (PM) em atender qualquer solicitação da universidade.

A audiência foi pedida pela Comissão de Segurança Pública, e além dos deputados Sargento Rodrigues (PDT) - que requiriu a audiência -, João Leite (PSDB) e Celise Laviola(PMDB), também participaram representantes das polícias Militar, Civil e Federal e o reitor da UFMG Jaime Arturo Ramirez.

Os deputados cobraram medidas enérgicas em relação ao tráfico de drogas na UFMG e os representantes das polícias se comprometeram a realizar um trabalho conjunto e colaborativo e auxiliar a universidade no que for necessário. O major Harley Wallace, da PM, inclusive, informou que o batalhão próximo ao local está a disposição para atender a qualquer solicitação da UFMG.

O deputado Sargento Rodrigues chegou a polemizar o assunto ao dizer, na última semana, que “Há alguns estudantes dos cursos de ciências humanas que, ao passar no vestibular, entendem que receberam um certificado autorizando-os a consumir drogas dentro da universidade".

O reitor disse que, no momento, a prioridade é a segurança na universidade. Desde a repercussão gerada pela denúncia de drogas na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) noticiada por O TEMPO no início deste mês (clique aqui para ler a reportagem), algumas medidas já foram tomadas.

Uma delas foi um convênio entre a universidade e a PM, que determinou uma ronda diária de dois militares a cavalo no campus até 17h. Desde a última semana, essas rondas já estão sendo feitas até as 22h e houve também um aumento no número de militares, segundo o reitor.

A UFMG também solicitou um reforço de policiamento na parte externa do campus, nas principais portarias de acesso, as das avenidas Antônio Carlos e Presidente Carlos Luz. Além disso, a universidade também aumentou o reforço na segurança interna no período noturno na Fafich com profissionais terceirizados.

Segundo o reitor, as decisões têm que ser tomadas junto aos conselhos da comunidade acadêmica, ou seja, com os alunos. Ele disse que a questão de restrição de acesso ao campus também está sendo discutida e é uma possibilidade. Outro ponto em discussão é a possibilidade de policiais em viaturas no campus, o que também gera impasse com os universitários, que repelem a ideia.

Ainda de acordo com o reitor, as decisões serão tomadas ainda este ano, mas ele não precisou quando isso aconteceria. O Diretório Acadêmico da Fafich continua fechado para reformas, e deverá ser revitalizado. 

Leia tudo sobre: drogasUFMGFafichPolícia MilitarPolícia CivilPolícia Federalreitoria