Cruzeiro embarca para a Argentina com muito apoio e assédio da torcida

Torcedores comparecem ao Aeroporto de Confins e, aos gritos, mandaram o recado: 'Libertadores, ser campeão!'

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Um embarque literalmente nos braços do torcedor. Com bastante festa, cânticos e muita tietagem, a delegação cruzeirense seguiu, na noite desta terça-feira, para Buenos Aires, onde enfrenta na próxima quinta, às 22h, o River Plate, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores.

Aproximadamente 150 torcedores marcaram presença no Aeroporto de Confins para dar seu último apoio antes do início da decisiva série contra a equipe Millonaria. E se a noite era fria em BH, eles trataram de aquecer os jogadores com seu incentivo, destaque para a presença de muitas famílias e senhoras que destinaram palavras carinhosas ao técnico Marcelo Oliveira.

Os jogadores, apesar do trabalho dos seguranças, fizeram questão de passar no meio dos torcedores. Para muitos cruzeirenses, aquele único momento foi a oportunidade de uma vida inteira.

"É importante receber este carinho do torcedor. Isto significa muito para nós. Eles estão sempre nos apoiando em todos os momentos. Sofreram com a gente naquela classificação e agora estão conosco nesta ida para a Argentina. Muitos não poderão ir, mas nós vamos jogar por todos eles. Vamos fazer de tudo para trazer este resultado positivo para que eles possam lotar o Mineirão na próxima semana", afirmou o atacante Marquinhos.

Fábio, o capitão do bicampeonato brasileiro e herói da classificação celeste, foi o mais assediado. Foi difícil chegar à sala de embarque. Cada passo, uma selfie, autógrafos, mensagens em video. O jogador procurou atender a todos os torcedores com a mesma dedicação que o faz ser reconhecido como um dos melhores arqueiros do Brasil.

Willians, o volante que se transformou em um dos símbolos da raça celeste nesta temporada, também procurou seguir a mesma linha.

"Vamos levar este apoio para lá e procurar voltar com um resultado positivo para retribuir todo este carinho. Vai ser um jogo duro, complicado, mas estamos preparados", finalizou.

E assim, aos gritos de 'Libertadores, ser campeão!' e 'nós queremos a Taça', a Raposa seguiu para mais uma etapa de sua missão.

"Sabemos da nossa responsabilidade, do que precisamos fazer por lá. Estamos confiantes de que podemos sair de lá com um bom resultado", concluiu o atacante Henrique Dourado. 

Leia tudo sobre: cruzeiroraposaembarqueconfinsargentinalibertadorestorcidachina azulapoio