Homens confundem casa de família com prostíbulo e mulher acaba morta

Casa onde vítima vivia já foi uma casa de prostituição; confusão terminou em briga entre duas famílias e a mulher de 39 anos foi assassinada

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Uma mulher de 39 anos foi assassinada a facadas em Caratinga, no Rio Doce, após uma discussão gerada pela chegada de um grupo de homens de uma outra família em sua casa, onde antigamente funcionava um prostíbulo, para comemorar o aniversário de um deles. Um suspeito, de 26 anos, foi preso em flagrante.

O caso foi registrado pela Polícia Militar (PM) do município por volta da 22h do último domingo (17), no bairro Córrego São Roque. Uma testemunha de 44 anos contou que chegava no local para levar sua filha de 18 anos, que mora na casa onde antigamente funcionava a boate Marilac, quando percebeu que um outro veículo com quatro homens também estava estacionando.

O homem questionou o que eles faziam ali e eles disseram que estavam procurando a casa da Tia Lúcia, perguntando onde ficava um "puteiro". Após explicar ao grupo que agora era uma propriedade particular, os suspeitos ficaram exaltados e iniciaram um bate boca.

Foi então que o homem de 26 anos desceu do veículo com um canivete, apontando-a para o peito da vítima, chegando a desferir um golpe contra ela. Teve início uma briga generalizada, sendo que o homem de 44 anos chegou a desferir pauladas contra o acusado de homicídio tentando conter suas agressões contra a mulher. Um familiar do suspeito, de 22 anos, ainda teria aparecido com uma foice.

A mulher esfaqueada chegou a dar entrada no Pronto Atendimento de Caratinga, porém, não resistiu aos ferimentos. O seu agressor, que acabou espancado pelos familiares da vítima, também precisou ser levado para a unidade de saúde.

A PM chegou a fazer buscas pelos familiares do agressor, porém, o suspeito que usou a foice durante a confusão fugiu e até o momento segue sendo procurado pela polícia. Na residência foram localizadas uma foice, uma faca de açougueiro e um alicate gigante.

Delegado já colheu depoimentos

Segundo a Polícia Civil (PC), o suspeito que segue sendo procurado foi quem deu a ideia de celebrar o aniversário de um dos parentes na antiga boate. O grupo de homens teria se irritado por o prostíbulo não existir mais e acabou iniciando a briga com a família que vivia na casa.

O caso está sendo investigado pelo delegado Diogo Bastos, que já realizou oitivas com os envolvidos para verificar a veracidade das denúncias. Entretanto, os depoimentos ainda estão sendo colhidos e não há qualquer conclusão do caso. Os feridos passaram por exame de corpo delito e o local do crime foi periciado pela PC.

O acusado segue hospitalizado sob escolta policial.

Leia tudo sobre: caratingacorrego são roquepresosuspeitoesfaqueaconfundeprostíbuloputeirocomemorar