Ato contra a Direcional pede preservação da Mata do Planalto e Izidora

Apresentações culturais marcam o dia em frente a sede da empresa Direcional, contra a transformação da Mata do Planalto em condomínio e contra o despejo das famílias na região do Izidora

iG Minas Gerais | BERNARDO ALMEIDA/ JULIANA BAETA |

Empresa foi cercada por tapumes durante manifestação cultural
web repórter/ juliana baeta
Empresa foi cercada por tapumes durante manifestação cultural

A manifestação denominada “Nem despejo, nem desmate”, que acontece desde às 15h30 desta terça-feira (19) tem como foco a empresa Direcional Engenharia, que colocou tapumes em volta de sua sede na rua dos Otoni, no bairro Santa Efigênia, na região Leste de Belo Horizonte. Segundo a empresa, a orientação de “proteger” a sede que ainda está em construção foi da própria Polícia Militar, embora o protesto seja pacífico e tenha cunho cultural.

O ato foi organizado por integrantes do Resiste Izidora e da Rede Verde, além de movimentos sociais e Brigadas Populares. O objetivo é lutar pela preservação da Mata do Planalto e das ocupações da Izidora. A Direcional seria dona do empreendimento que irá tomar conta da Mata do Planalto, a última área verde da região, e também a responsável por pressionar o Estado para despejar os moradores da Izidora.

“Queremos deixar claro que a Direcional está lutando contra o interesse público tanto na questão da Mata do Izidora - que é possível coexistir com o Minha Casa Minha Vida e as casas de alvenaria que já estão no local -, quanto na questão da Mata do Planalto, onde o empreendimento em que a intransigência da construtora irá afetar o microclima de toda a região Norte de BH”, diz o representante das Brigadas Populares, Rafael Bittencourt.

Os manifestantes reivindicam uma reunião com a diretoria da Direcional para pedir uma negociação justa em relação as famílias das ocupações Izidora e para exigir a preservação total da Mata do Planalto e sua transformações em um parque público a fim de preservá-la.

O ato acontece até às 22h e conta com 10 apresentações de música, rodas de capoeira e roda de debates. A rua dos Otoni foi fechada para a programação, mas o trânsito segue tranquilo na região. Cerca de 150 pessoas participavam da manifestação às 16h. 

Procurada pela reportagem, a Direcional informou que irá se posicionar até o fim do dia. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave