Corte no orçamento pode ser usado para aprovar fim das desonerações

O governo Dilma pede que o fim das desonerações na folha de pagamento, um dos tópicos principais do ajuste, seja aprovado pelos parlamentares

iG Minas Gerais | da redação |

Relatório que vai ser lido amanhã altera ICMS
Antonio Cruz/ABr
Relatório que vai ser lido amanhã altera ICMS
O Palácio do Planalto prometeu mais cargos ao PMDB, nos bastidores, e disse que o tamanho dos cortes de ajuste fiscal dependeram do Congresso.   O governo Dilma pede que o fim das desonerações na folha de pagamento, um dos tópicos principais do ajuste, seja aprovado pelos parlamentares.   Essa situação foi apresentada após a Câmara dos Deputados mudar, as duas medidas provisórias de restrição a direitos trabalhistas, 665, e previdenciários, 664. Com as alterações o ajuste fiscal caiu de R$ 18 bilhões para R$ 14,5 bilhões por ano, o plano da presidente tenta economizar mais R$ 6 bilhões.   A presidência tenta um acordo com o PMDB para o comanda da Companhia Docas no Rio, em troca da manutenção do texto da desoneração.   O líder da bancada do partido na Câmara, Leonardo Picciani (RJ), queria adiar o fim das desonerações para o final de 2016, sob o argumento de que seria necessário um tempo de adaptação das empresas. Entretanto, ele foi dissuadido da ideia após reunião com o vice-presidente Michel Temer, ministros e senadores  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave