Relatos sobre a intolerância

Jornalista lança romance inspirado em viagem à Arábia Saudita

iG Minas Gerais | RAFAEL ROCHA |


“Eu quis pesquisar sobre algo que me surpreendesse”, diz a autora
Denise Bernardes
“Eu quis pesquisar sobre algo que me surpreendesse”, diz a autora

Era manhã de uma sexta-feira quando Staël Gontijo quase presenciou a execução de um cidadão em plena praça pública numa cidade da Arábia Saudita. “Me senti em Ouro Preto no ano de 1660, quando a coroa portuguesa fazia o mesmo”, diz a jornalista, que preferiu entrar dentro do carro para não presenciar aquela morte. A cena, aterrorizante para os ocidentais e comum naquele país, é apenas uma entre as várias que chocaram a escritora durante os 33 dias de estadia por ali. Inspirada por essa vivência, a jornalista lança hoje, na Livraria Quixote, o livro “Palavras de Arame”.

Em uma nação considerada radical até mesmo pelos muçulmanos da região – só esse ano já foram 84 pessoas condenadas à pena de morte –, cerca de 20 mil brasileiros residem ali, segundo a autora. Foram em busca de enriquecimento movido ao petróleo, que não para de jorrar por lá – as exportações estão no nível mais alto da última década. Em meio a tanto dinheiro, religião e opressão, a autora se interessou em saber como nossos conterrâneos fazem para viver em um lugar tão hostil às culturas ocidentais. “É um ambiente radical. Quando cheguei, parecia que eu estava na lua”, relata.

Proibida de fotografar, filmar ou usar a internet, ela começou a escrever. Para ilustrar esse embate religioso e cultural, Staël criou um romance com dois narradores. Enquanto a brasileira Aurora administra uma espécie de condomínio onde residem imigrantes e tenta resguardá-los da severidade das leis muçulmanas, o pequeno saudita Hasan acompanha sua mãe nas aulas de Islã que ela ministra no mesmo conjunto habitacional. As histórias se cruzam e a doutrina de uma religião é contrastada com a outra. O assunto, no entanto, é delicado, já que estamos em um país onde manifestar a fé cristã pode render a pena capital. “Acho que as religiões são sistemas desesperados atrás de membros”, avalia a escritora.

As situações pelas quais Staël passou durante sua viagem alimentam a narrativa, que tenta refletir sobre esse panorama de relativismo cultural e religioso. “A intolerância desses dois lados foi o que me chamou mais atenção. Nós enxergamos o Oriente Médio como eixo do mal, mas para eles nós que somos considerados o eixo do mal. É uma guerra de poder onde nenhum dos dois lados tem muito critério”, conclui a autora.

Programe-se

O QUÊ. Lançamento do livro “Palavras de Arame”, da jornalista Staël Gontijo

QUANDO. Hoje, às 19h

ONDE. Livraria Quixote (rua Fernandes Tourinho, 274, Savassi)

PREÇO DO LIVRO. R$ 41

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave