Aumento de vagas na Câmara só virá se houver unanimidade

Outro projeto que deve tomar o mesmo rumo, no futuro, é o que poderá garantir o aumento no salário dos vereadores de Belo Horizonte

iG Minas Gerais | Ricardo Corrêa/Lucas Ragazzi |

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Belo Horizonte decidiu que só irá levar adiante a proposta de ampliar de 41 para 43 o número de cadeiras no Legislativo caso obtenha o apoio de todos os atuais integrantes da Casa. A proposta de mudança na Lei Orgânica do Município foi discutida nesta segunda em uma reunião do comando da Câmara.

A estratégia de fazer com que todos os vereadores assinem o projeto é para evitar que algum deles possa se colocar contrário apenas perante a opinião pública de modo a angariar votos na próxima eleição. Como todos serão beneficiados com o aumento do número de vagas, o comando da Casa não acha justo que alguém faça apenas “jogo de cena” para depois usufruir da maior facilidade de reeleição.

Ouvir os vereadores e buscar posições de consenso em questões mais polêmicas deve ser uma política da Câmara, de acordo com o presidente da Casa, vereador Wellington Magalhães (PTN).

Outro projeto que deve tomar o mesmo rumo, no futuro, é o que poderá garantir o aumento no salário dos vereadores de Belo Horizonte. A Câmara já solicitou um estudo de quanto ganham os membros das Casas Legislativas em diversas cidades de Minas Gerais. O objetivo é mostrar que os vereadores de BH ganham menos do que a média, para justificar um reajuste, que também seria assinado em conjunto. O presidente da Câmara, Wellington Magalhães, no entanto, avisa: se houver aumento ele não valerá para os atuais vereadores, ao contrário do que ocorreu na gestão anterior. Na ocasião, os parlamentares aumentaram seus próprios vencimentos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave