Pontos valiosos

iG Minas Gerais |

Por mais óbvio e repetitivo que seja, todo ponto deste início de campeonato fará diferença nas últimas rodadas para quem estiver brigando pelo título ou contra o rebaixamento e outras posições. Mas a maioria dos times só se liga nisso depois de algumas rodadas. Outros relaxam e perdem pontos inacreditáveis e permitem alterações significativas na tabela de classificação. A janela de transferências para o futebol internacional também costuma mudar radicalmente o comportamento dos times, em função de desfalques provocados por transações milionárias que a maioria dos clubes é obrigada a fazer. Por isso, a fórmula por pontos corridos agrada tanto ao público: deixa todos os torcedores em suspense até as últimas rodadas. Ninguém pode se acomodar ou desanimar por causa de excelentes ou péssimos resultados iniciais. Com o time reserva, o Atlético empatou fora de casa na estreia com o Palmeiras. Eliminado da Libertadores, com o time titular, sem Marcos Rocha e Leandro Donizete, atropelou o Fluminense no estádio Mané Garrincha, campo neutro, sem passar nenhum aperto. Manteve o ritmo que vem empreendendo em todos os jogos e saiu aplaudidíssimo do gramado. O Fluminense jogou com o que tinha de melhor, e seu futuro no campeonato é uma incógnita.

Evolução. Alguns jogadores se destacaram no Atlético, como o Jemerson que, ao marcar dois gols de cabeça, mostra evolução neste quesito. Desperdiçou duas oportunidades inacreditáveis em lances bem menos difíceis nas partidas contra o Internacional. Lucas Pratto e Luan continuam sendo fundamentais ao time, e Dátolo voltou a jogar bem.

Olhos e pés lá. O Cruzeiro pensa na Libertadores e usou time misto na derrota para o Santos, na Vila Belmiro. Supremacia total do time paulista, mas com o elenco que tem, não há como não priorizar a competição mais importante do continente. Precisa concentrar todas as forças, dentro e fora de campo, na disputa das quartas de final contra os argentinos.

Exemplo. Em 2007, o América tinha R$ 55 mil mensais para gastar com seu time profissional. As categorias de base contavam com a colaboração de lojistas da Ceasa, que forneciam as sobras de verduras e outros alimentos. Com um orçamento desses, o resultado não podia ser outro: queda para a segunda divisão estadual.

Em tempo. A dura experiência do América serve de alerta para Atlético e Cruzeiro, que, a partir de 2016, vão receber três vezes menos que Flamengo e Corinthians em direitos de transmissão pela TV. É preciso reagir enquanto há tempo. Na Espanha, até o governo está intervindo para diminuir o abismo que separa Barcelona e Real Madrid dos demais.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave