União entre clubes de futebol e de vôlei gera novos frutos

Caso de maior sucesso é entre a Sada e o Cruzeiro, time tricampeão da Superliga masculina

iG Minas Gerais | Thiago Prata |

Houve um tempo em que a paixão do torcedor e a rivalidade envolvendo vários dos grandes clubes do esporte jogado com os pés chegava às quadras sob outro formato. As décadas de 70 e 80 foram marcadas por confrontos épicos no vôlei entre agremiações do Brasil que tinham – e têm – o futebol como carro-chefe. Botafogo, Flamengo e tantos outros detinham esquadrões que entraram para a história do voleibol masculino e feminino do país. Após tal período, nostálgico para muitos, existiram clássicos que moviam multidões às quadras, mas em temporadas esporádicas, como a emocionante decisão da Superliga feminina 2000/2001, que teve o Flamengo campeão em cima do rival Vasco. Só que o cenário pode voltar à tona no vôlei masculino e dar mais força ao laço que une os dois principais esportes em terras tupiniquins. Após o sucesso da parceria do Sada Cruzeiro, o maior expoente do vôlei brasileiro na atualidade, clubes de futebol se movimentaram nos bastidores para firmar parcerias similares e buscar um lugar ao sol. São os casos de São Paulo e Flamengo. O tricolor efetuou um acordo com o Taubaté, enquanto o rubro-negro está próximo de anunciar um contrato com a UFJF para a próxima temporada. O supervisor técnico do Taubaté, Ricardo Navajas, acredita que a parceria com o São Paulo possa render bons frutos para ambos. “Forma-se uma marca muito forte e que pode trazer mais parceiros para o Taubaté por meio dessa parceria com o clube de futebol”, sintetizou Navajas, que confirmou que a sede da equipe segue em Taubaté. No entanto, o presidente do tricolor paulista, Carlos Miguel Aidar, eufórico com o time de vôlei, cogita mandar partidas na capital paulista. Para ser mais exato, no Morumbi. “Esse time de vôlei ganhou 17 milhões de torcedores, os do São Paulo Futebol Clube, que vão apoiá-lo. Não sei se haverá ginásio capaz de abrigar todos eles, mas tenho certeza de que muito em breve encontrarão uma maneira de fazer um jogo de vôlei aqui nesse gramado. Montaremos uma quadra e faremos um grande espetáculo”, disse Aidar. Vantagens. O diretor esportivo do Sada Cruzeiro, Flávio Pereira, vê com bons olhos o recente frisson causado pelas novas parcerias envolvendo clubes de voleibol e de futebol. “As parcerias são bem-vindas, agregam valor, têm torcidas apaixonadas e propiciam ginásios sempre cheios. Somos a favor das parcerias, pois permite que o esporte alavanque. Somos radicalmente contra projetos mirabolantes, que mexem com mercado, e contra o abuso de poder econômico. Mas as parcerias com um mínimo de lógica nós apoiamos”, destacou.

CURTINHAS Perto de acordo. Faltam detalhes para UFJF e Flamengo anunciarem a parceria entre eles. A equipe continuará em Juiz de Fora, com chance de alguns jogos no Rio de Janeiro. A gestão também seguiria com a UFJF. Mineiros. O América manifestou recentemente o sonho de ter uma equipe profissional de voleibol, mas não possui os recursos necessários em curto prazo. Já o Atlético, que já teve um time forte no passado, segue sem pretensões para investir nesse esporte. Quase. Em 2011. Volta Redonda e Botafogo quase firmaram aliança. Mas divergências pontuais impossibilitaram o trato.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave