Diego Hypolito defende ginastas e diz que ato foi 'infeliz atitude'

CBG divulgou nota nesse sábado na qual afirma que vai instaurar inquérito para definir eventuais punições aos envolvidos

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Diego Hypolito avançou em duas provas e tem chances de medalha
Ricardo Bufolin/CBG
Diego Hypolito avançou em duas provas e tem chances de medalha

O ginasta Diego Hypolito postou um texto no seu Instagram oficial onde apoia os atletas da seleção brasileira de ginástica que estão sendo acusados de injúria racial. Diego acredita que o vídeo, que contém ofensas racistas, não passou de uma infeliz atitude e que foi mal interpretado pela sociedade.

"Uma infeliz atitude que não é o reflexo interno de nossa seleção, porém, aos olhos da sociedade soou de muito mal tom e que não deve se repetir", escreveu o atleta.

Os ginastas, que se preparam por uma vaga na Rio 2016, entre outras competições, costumam passar o dia-a-dia juntos, e Hypollito fez questão de ressaltar a união do grupo.

"Eu como mais velho do grupo sei o quanto a nossa seleção é unida, não existe intolerância de nenhuma forma, só ver os resultados, como o sexto lugar no Mundial".

A CBG (Confederação Brasileira de Ginástica) divulgou nota nesse sábado (16) na qual afirma que vai instaurar inquérito para definir eventuais punições aos envolvidos.

"A Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), considerando o relatório da coordenação da Seleção de Ginástica Artística Masculina, irá instaurar inquérito para encaminhar ao STJD da ginástica, instância desportiva competente, para definir eventuais punições a serem aplicadas aos envolvidos no vídeo publicado em uma rede social", dizia parte da nota.

À Rede Globo, o secretário executivo de políticas e promoção da igualdade racial, Giovanni Harvey, exemplificou quais foram os crimes cometidos pelos ginastas.

"Foram cometidos dois crimes. O crime de injúria racial na esfera privada, enquanto eles estavam no ambiente da delegação. E um segundo crime, de incitação ao racismo, através da postagem nas redes sociais. O racismo nunca é uma brincadeira, o racismo é um crime", afirmou Giovanni.

No entanto, a CBG ainda não tomou nenhuma medida e espera o relatório da comissão técnica e da coordenação para punir ou não os atletas.

"Foi uma colocação bastante infeliz dos meninos. A confederação está esperando todo relatório da comissão técnica e da coordenação. Nós precisamos de todos esse fatos, todas colocações para tomar as medidas cabíveis", disse Klayler Mourthé, coordenador da CBG

O vídeo

Em sua conta no aplicativo Snapchat, Nory mostra ofensas racistas a seu companheiro de seleção, o brasileiro Angelo Assumpção, único negro da equipe.

As imagens publicadas pelo ginasta foram divulgadas pelo jornal "O Globo". Nelas, Angelo é provocado durante refeição com o grupo, que está em treinamento em Portugal.

"Seu celular quebrou: a tela quando funciona é branca... quando ele estraga é de que cor? (risos)", pergunta Nory.

"Preto!", dizem outros atletas que não podem ser identificados na imagem. E eles seguem: "o saquinho do supermercado é branco... e o do lixo? É preto!".

No vídeo, ele demonstra constrangimento com as brincadeiras.

Pedido de desculpa

Depois da repercussão negativa dos vídeos, Nory publicou em seu perfil no Instagram um vídeo de desculpas.

Ele também afirmou, por meio de sua conta no Twitter, que sua conta no Snapchat foi apagada.

Leia tudo sobre: diego hypólitodefendeginastasatitudeinfelizcomentarioracista