A cura como expressão de uma realidade interna

iG Minas Gerais |

undefined
DUKE
undefined

A vida, a cura e a purificação, que em outros tempos eram simbolizadas pelo elemento água, devem ser hoje reencontradas nas correntes de energias sutis, espirituais. A água pode abrigar em si a essência dessas energias, mas é bom saber que na realidade não é ela que vivifica, cura ou purifica. É a abertura e a aspiração do indivíduo que, ao fazê-lo contatar as energias que permeiam o elemento água, permitem que elas se fundam nas do seu próprio ser, elevando-o. As energias que são atraídas por um instrumento de cura, seja esse instrumento a água ou qualquer outro, abrangem uma faixa bem ampla de vibrações, da qual cada um irá absorver o que lhe corresponde. Essa filtragem é feita pela consciência interna da pessoa, que permite penetrar em sua aura somente o impulso que lhe for adequado. A água é símbolo universal da vida, no qual estão implícitas, entre outras, as qualidades de pureza, transparência e abundância. É quando um indivíduo se desliga dos limites formais, quando vai mergulhando na sua própria essência, que ele passa a conhecer a Vida em cura, como uma realização suprema. Só então o conceito de cura, que normalmente se encontra na mente, vai sendo substituído pelo conhecimento de que a cura é a possibilidade de expressão de uma realidade interna, de um padrão de perfeição que temos dentro de nós. Sendo esse padrão saudável retirado dos níveis de escuridão e densidade, tendo a pessoa abdicado de lidar com as energias desses baixos níveis, ela passa a viver o cumprimento de uma Lei Maior, divina, e deixa de buscar realizações materiais. A pessoa pode ser então erguida do poço das dores, dos sofrimentos e das doenças para o trabalho com as energias da cura. A cura passa a ser vista como um ajuste daquilo que não exprime o padrão divino, como um processo que aproxima a criatura do arquétipo que lhe corresponde. Momento a momento, do Cosmos chegam à Terra energias curativas. O homem deve contribuir para realizar a sua cura, onde quer que ele viva. Se puder tornar-se o que interiormente é em seu íntimo, irradiará essas energias, pois todo ser, consciência ou partícula vivente que realiza em si o que é destinado, torna-se curador. O curador exprime em si a perfeição da vida. Sendo a energia de cura o que leva a vida à perfeição, como poderia ela ser veiculada por alguém que não a tem realizada em si mesmo? No que se refere à cura nos níveis físicos, há uma chave para o reconhecimento da importância da ordem e da perfeita manutenção dos ambientes externos que espelhem a harmonia. Seguramente as pessoas que hoje buscam a cura interior já devem ter percebido esse fato. Compreendendo o sentido da Criação, o homem poderá ter as chaves para harmonizar a si mesmo e tudo o que o circunda. Há muito foi dito que o macrocosmos reflete-se no microcosmos. Assim, o corpo do Cosmos reflete-se no corpo planetário e no corpo humano. Mas, para exprimir a harmonia de esferas cósmicas, o homem deve ter sua consciência na busca dos planos em que a vida cósmica se encontra. Isso tudo é uma questão de abertura para o contato com o mundo interior, a alma, que pode levar ao despertar da consciência. E quando o processo de despertar interno tem início em um indivíduo, é necessário que ele siga as indicações que passa a receber desse mundo interior; caso contrário, ele não absorverá devidamente os ensinamentos que cada etapa do caminho lhe traz. Para conhecer as obras do autor, acesse o site www.irdin.org.br ou o site www.comunidadefigueira.org.br.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave