EPO diversifica na construção de shoppings

Construtora de empreendimentos de alto padrão tem 243 mil m² de projetos em andamento

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

O Jardim Casa Mall é uma parceria entre o Grupo EPO e o Grupo Vale Verde às margens da BR–040
Glaucia Rodrigues
O Jardim Casa Mall é uma parceria entre o Grupo EPO e o Grupo Vale Verde às margens da BR–040

Crise, para Gilmar Dias, 53, diretor-presidente do Grupo EPO – de construção para o mercado de luxo em Minas Gerais – não é nenhum bicho-papão para quem abriu a empresa junto com a mulher e o irmão há 23 anos também num momento severo da economia. “Já enfrentamos algumas (crises), embora essa tenha uma desordem política grande, desordem econômica e uma crise de confiança”, compara. Para o engenheiro, essa é a mais difícil de debelar de todas que ele já viveu, e o executivo pensa que, talvez, essa seja a onda mais forte que ele e todo o país vão enfrentar. Mesmo assim, com prudência, a EPO continua acreditando no mercado com 243 mil m² de projetos em andamento, entre residenciais, lojas e espaços corporativos e centros comerciais. “Não vamos parar”, avisa Dias. Prova disso são os shoppings que a construtora está inaugurando. É que a EPO vem de uma trajetória de erguer os chamados strip-malls – centros de compras mais acessíveis, menores e próximos a grandes complexos residenciais. Um deles é o Jardim Casa Mall, no bairro Jardim Canadá, em Nova Lima. A primeira fase foi inaugurada em abril, e outros dois terços do projeto já estão aprovados para a expansão no terreno que abrigará 22 mil m² de área construída em três pavimentos. “A proposta é trazer as pessoas pelo prazer de ver, comprar, passear”, explica Dias, em meio a lustres de cristais e móveis de couro envelhecido à venda. A expansão depende da maturação do primeiro módulo. “A gente vai graduando conforme o mercado e a demanda. O objetivo é esse, para não criar uma concorrência com o próprio negócio”, ensina o empresário. Investimentos. Outros dois centros de compras – o Nova Lima Mall, na MG–30, em Nova Lima, e o Center Minas, no bairro Cidade Nova, em Belo Horizonte – também estão com entregas previstas por etapas. “A proposta é varejo, primeira necessidade no Nova Lima Mall na primeira fase, e o Center Minas terá grandes âncoras (lojas) já numa segunda fase”, explica. Com 17 mil m² de ABL (Área Bruta Locável), o Nova Lima Mall está dividido em três fases. “Vamos ter o Supermercados BH, Lojas Americanas, Pizzaria Mangabeiras, drogaria, dentre outros”, detalha. Com 1.500 funcionários, mais de 400 obras entregues e mais de 1 milhão de m² construídos em mais de duas décadas, Dias, nascido em Martinho Campos, no Centro-Oeste de Minas, diz que a empresa não gosta de divulgar números de investimentos em obras. “Porque isso cria especulação, que não traz benefício para a comunicação da empresa”, justifica.

Sem onda Conjuntura. O diretor-presidente da EPO, Gilmar Dias, acredita que o Brasil voltará àquele mercado do início da década de 2000. “O país passou a onda de crescimento e vai ser o Brasil sem onda, sem ilusões”, afirma.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave