'(Impeachment) é jogo de cena da oposição'

Aldo Rebelo ministro da Ciência e Tecnologia

iG Minas Gerais |

Avalia que há risco de avançar na Câmara o impeachment ou existe margem de segurança?

Não creio que esse tipo de tese vai avançar na Câmara. Nem os dirigentes mais lúcidos do PSDB trabalham com essa hipótese.

Em 1999, o PCdoB foi às ruas pedir o impeachment de Fernando Henrique. Por quê valia naquela época e hoje não vale mais?

Por uma simples razão: o pedido de impeachment de Fernando Henrique Cardoso estava errado. Ponto.

Então o PCdoB estava errado?

Claro. E não só ele. Todos pedidos contra o presidente estavam errados.

Na época o senhor foi voto vencido no partido?

A posição do partido é sempre a posição de todos os seus integrantes. Não cultivamos essa tese de um ficar para um lado e outro para outro.

Os panelaços preocupam o governo ou o ssenhor avalia que é um evento isolado?

Não é isolado porque acontece nas grandes cidades. É um movimento de setores da classe média que não atraiu a presença do povo. Mas no Brasil essas manifestações sempre são de setores médios.

Partidos de oposição queriam ensaiar um pedido de impeachment e recuaram. O movimento perdeu força?

Nos momentos tumultuados da vida nacional, as teses não precisam de sustentação para circular. Não há sustentação jurídica nem política para a oposição cogitar impedimento. É jogo de cena. O país vive um momento estranho.

Estranho como?

Vivemos um momento em que empresas brasileiras que foram responsáveis pela construção da infraestrutura do país recebem um tratamento que nem as empresas que sustentaram o esforço de guerra do nazismo receberam.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave