Mascote fashionista

Conversamos com Rafael Mantesso, publicitário mineiro que, juntamente com seu famoso bull terrier, estampa uma linha da Jimmy Choo

iG Minas Gerais | Lorena K. Martins |

Jimmy Choo , o bull terrier inglês, e suas fotos no Instagram do @rafaelmantesso
Fotos Instagram/Reprodução
Jimmy Choo , o bull terrier inglês, e suas fotos no Instagram do @rafaelmantesso

“Imagine você ter um cachorro com o nome de uma marca incrível, daí você coloca umas fotos dele na internet, e essa marca te convida pra assinar uma coleção de acessórios com desenhos e fotos do seu cachorro. Eu não poderia estar mais orgulhoso do meu amigo”, escreveu o artista visual e designer mineiro Rafael Mantesso ao comunicar, pelo Instagram, a nova empreitada de seu cão de estimação, um bull terrier inglês, chamado Jimmy Choo.W

Além de os cliques de seu mascote, um fenômeno na internet pelo perfil de seu criador (@rafaelmantesso), virarem um livro – que será lançado oficialmente em 18 países em outubro deste ano – ,ele caiu nas graças de Sandra Choi, designer que comanda a criação da grife de acessórios que leva o mesmo nome do pet. A estilista convidou o bull terrier e o seu dono para criar uma linha especial de acessórios da marca da coleção de Pre-Fall 2015, lançada no último dia 15. Entre as peças estão bolsas, nécessaires, carteiras e capas para iPhone. Além disso, a linha conta com duas coleiras para cachorro – embora Jimmy prefira ficar “pelado”, segundo seu dono.

Retorno

“De repente, amigos do mundo todo começaram a me enviar links do trabalho do Rafael com o seu bull terrier inglês, o Jimmy Choo. Eu fiquei instantaneamente atraída pela maneira como ele inseria o cão em seu trabalho. Eu nunca tinha visto nada igual! A sua obra é tão divertida e inteligente que começamos rapidamente uma amizade online. Eu sabia que, de alguma maneira, tinha que incorporar o seu trabalho à minha coleção”, afirmou Sandra Choi. A linha, estrelada pelo mais novo mascote do mundo fashion, também virou vídeo, com animação assinada pelo diretor de arte britânico Jo Ratcliffe. Como seria complicado demais levar o Jimmy para Londres, as gravações foram feitas aqui, em Belo Horizonte, na Toca Filmes, durante dois dias. “Troquei ideia com o Jo sobre o tipo de traço do desenho, e fomos discutindo as cenas do Jimmy para que depois fosse feita a animação em cima disso”, contou Rafael.

Pra quem não conhece, Mantesso é publicitário, foi sócio da Belo Comidaria, em Belo Horizonte, e é diretor de comunicação do Festival Fartura, ou seja, vive na gastronomia. Porém, é no Instagram que ele usa o seu mascote como inspiração para criar fotos muito divertidas, simulando atividades incomuns para um pet – de desfiles de moda a competições de karaokê, como uma forma de hobby. E agora, criando dentro do universo fashion, está curtindo tudo isso. “Jimmy esteve comigo nos melhores e piores momentos da minha vida, e isso tudo é mérito dele”, contou.

Conversamos com Rafael enquanto ele estava em uma ponte aérea entre Nova York e Londres, para acompanhar o lançamento da linha e, finalmente, conhecer Sandra Choi pessoalmente. Você imaginava que a própria marca Jimmy Choo conhecesse o seu cão, pelo Instagram?

Eu esperava por conta do nome do cachorro, mas não esperava que a marca fosse entrar em contato pra fazer o que fez, uma parceria. Pelo Instagram, eu estou divulgando a marca deles de uma maneira positiva, sem ser forçada, bem por acaso. Imagina que, de repente, o nome da marca deles começou a ser falado por todo mundo na internet, por conta do cachorro, e isso despertou curiosidade, e eles foram descobrir o que era.

E a Sandra Choi? Como foram as negociações e o contato entre vocês dois?

Ela é incrível e tem muitos amigos que têm bull terrier também. Eles bombardearam na cabeça dela sobre o meu Jimmy. Eu até pensei que ia ser processado (risos) no início. Mas ela me ligou, em novembro do ano passado, dizendo que adorou o meu trabalho e que é incrível. Desde então a gente veio conversando sobre as fotos, sobre processos criativos, e, de repente, ela quis fazer algo maior.

Já te chamou para assinar uma linha de acessórios?

Inicialmente, o Jimmy ia ser só o modelo de um editorial fotográfico. A viabilidade disso era complicada, despachá-lo para Londres ia dar muito trabalho. E depois ela quis colocá-lo em produtos, aí entramos em um processo criativo, e ela me deu carta-branca para eu “pirar” e fazer o que eu quisesse. Criei dez fotos com ilustração, e ela escolheu três. Ela não queria descartar a arte e queria que as bolsas fossem brancas para que a arte fosse destaque.

E sua experiência com a moda nesse processo, mesmo a distância?

Trabalhar come eles foi ótimo, a equipe toda é incrível. E o resultado é isso, quando você coloca muito amor no negocio, o produto fica bonito e você consegue transmitir isso pra outras pessoas. A minha vida é a gastronomia, é com isso que eu trabalho, mas a minha atuação é de publicitário. Eu pude exercer isso como criador, o que é tão inspirador quanto. O desafio de criar algo pra moda é incrível, é um mercado muito profissional e sempre aberto a novas inspirações.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave