PM leva pedradas e dá fim a baile funk no 'tiro, porrada e bomba'

Festa clandestina com cerca de 2 mil pessoas foi dispersada com balas de borracha e bombas de gás lacrimogênio na madrugada deste sábado (16)

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Festa clandestina era realizada na rua Doutor Argemiro Resende Costa, na Vila Novo São Lucas
PMMG / DIVULGAÇÃO
Festa clandestina era realizada na rua Doutor Argemiro Resende Costa, na Vila Novo São Lucas

Um baile funk clandestino com cerca de 2 mil pessoas precisou ser interrompido com balas de borracha e bombas de gás lacrimogênio, na madrugada deste sábado (16), depois que policiais militares foram recebidos a pedradas pelos presentes, na Vila Novo São Lucas, no Aglomerado da Serra, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. 

O Boletim de Ocorrência da Polícia Militar (PM) aponta que inúmeros moradores das proximidades da rua Doutor Argemiro Resende Costa acionaram a corporação reclamando da perturbação do sossego provocada pelo som alto de um baile funk que era realizado no local. 

Por se tratar de uma área de risco, a corporação preparou uma rápida operação com a presença de mais de oito viaturas, com policiais do Grupamento Especializado de Patrulhamento em Áreas de Risco (Gepar), do Tático Móvel e do 22º Batalhão. Os militares chegaram ao local por volta de 1h e, após constatarem que o som estava realmente muito alto, deixaram os veículos em uma área mais distante e passaram a se aproximar para conversar com os organizadores. 

Entretanto, assim que os moradores notaram a presença dos policiais passaram a atirar pedras e garrafas contra eles, que precisaram revidar. Foram utilizadas balas de borracha e bombas de efeito moral  para conseguirem dispersar os participantes do baile, que não teria qualquer autorização para acontecer. 

Durante a operação, ainda de acordo com a PM, alguns dos militares notaram que um suspeito saiu correndo e atirou uma mochila em um cima de um muro. A corporação tentou perseguir o jovem, porém, as aglomerações de pessoas acabaram impedindo sua prisão. Apesar disso, a bolsa foi recuperada e achados 434 pinos de cocaína e duas buchas de maconha, que provavelmente seriam vendidos na festa. 

As viaturas não chegaram a sofrer danos por parte dos vândalos. A ocorrência, sem nenhum preso, foi registrada durante a madrugada na Central de Flagrantes (Ceflan) II, no bairro Floresta, na região Leste de BH. 

R$14 mil achados no mato

Ainda no Aglomerado da Serra, desta vez na vila Fazendinha, a cerca de 1 km do ponto onde a PM deu fim ao baile funk clandestino, um menor de 16 anos foi apreendido com pinos de cocaína, uma arma de calibre exclusivo das forças armas e munição na tarde deste sábado. Além disso, uma sacola com maconha e R$ 14 mil em dinheiro foi encontrada em uma mata próxima do local por cães da corporação.

FOTO: PMMG / DIVULGAÇÃO Operação no mesmo aglomerado apreendeu R$ 14 mil em dinheiro

Segundo o tenente Felipe rocha, do batalhão de Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), foi programada uma operação nesta tarde em um ponto conhecido pelo intenso tráfico de drogas. Assim que os militares chegaram ao local, várias pessoas correram, sendo que o adolescente tentou entrar dentro de uma casa. 

Ele acabou abordado e, no local, foi achada uma pistola calibre 9 mm, 101 munições e 25 pinos de cocaína. O menor assumiu a posse da arma e o seu envolvimento com o tráfico, porém, não passou detalhes sobre quem seriam seus comparsas. Ele também negou ser o dono de um sacola encontrada pelos cães na mata, que continha 350 gramas de maconha e os mais de R$ 14 mil em dinheiro. 

A ocorrência foi encerrada no Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional (CIA) no Barro Preto, também na região Centro-Sul de BH.