Menores de 14 anos são alvo de mais da metade de abusos

Minas registrou 1.209 estupros entre janeiro e abril deste ano; 60% deles contra vulneráveis

iG Minas Gerais | Luiza Muzzi |

Proximidade. Especialistas alertam que maioria dos agressores está presente nas famílias das vítimas
Brendon De Suza
Proximidade. Especialistas alertam que maioria dos agressores está presente nas famílias das vítimas

Somente na região metropolitana de Belo Horizonte, foram 254 casos de estupros contra esse público, média de 2,1 por dia. Especialistas alertam, contudo, que a realidade é ainda pior, já que a maioria das ocorrências não é denunciada. “A maior parte dos agressores está dentro da própria família, e a criança tem uma certa dependência afetiva, já que o abuso envolve uma situação de poder. O problema é que o silêncio da vítima é o que normalmente garante a impunidade do agressor”, afirma a gerente de inserção especial da Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social da Prefeitura da capital, Robélia Ursine.

Mobilização. Para combater o problema, na próxima segunda-feira – Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes – acontecem por todo o país dezenas de ações de enfrentamento a esse tipo de violência. O principal objetivo é mobilizar famílias sobre a importância de não fechar os olhos diante de abusos e denunciar para proteger as vítimas, muito vulneráveis.

Mobilizações

BH. Ceasa. A praça Sete, no centro, recebe hoje, das 9h às 12h, ação educativa do Espaço Infância Protegida, da Igreja Batista da Lagoinha. Pelo quarto ano, voluntários farão panfletagem, intervenções teatrais e atendimentos psicológicos. Na segunda-feira, o Estado fará uma ação educativa na Ceasa, às 6h30. À tarde, haverá roda de conversa na Cidade Administrativa. A prefeitura também tem programação, em todas as regionais, como blitze e caminhadas.

Brasília. A mobilização para 18 de maio inclui seminário sobre o atendimento a crianças e adolescentes. No evento, serão divulgadas estatísticas de denúncias recebidas pelo Disque 100 no primeiro trimestre de 2015. Com o lema “Faça bonito. Proteja nossas crianças e adolescentes”, a campanha pretende mobilizar a população nesse enfrentamento.

 

 

Símbolo

“A minha primeira sensação foi de ódio. Tive que fazer tratamento psicológico, e, até hoje, tomo remédios. Não desejo isso para ninguém”. Revoltada, a mãe de um garoto de 11 anos, abusado sexualmente por um amigo da família quando tinha apenas 8 anos, hoje faz questão de alertar outras famílias. Dados da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) apontam que 60% dos 1.209 estupros registrados em Minas nos primeiros quatro meses deste ano foram contra vulneráveis – vítimas menores de 14 anos ou que tenham algum tipo de deficiência.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave