Regime sazonal

iG Minas Gerais |

undefined
acir galvao
undefined

Não existe uma frase que me irrite mais do que “Você deu uma engordadinha, hein?” Antes de responder, eu olho bem para a pessoa, emitindo todas as vibrações de vingança possíveis, e começo com as desculpas, já ensaiadas: “É a roupa...”, ou: “Puxa, você deve estar enxergando mal, ontem mesmo eu me pesei e emagreci 2 kg...”, ou ainda: “É que eu estou inchada, TPM, sabe como é...”, quando na verdade, por dentro, estou rogando que essa pessoa, que me lembrou dos malditos quilos a mais, caia de boca em um bolo enorme de chocolate com cobertura de brigadeiro, engorde uns 40 kg e vá cuidar do próprio regime. O fato é que eu acho um absurdo quem faz comentários sobre o corpo alheio sem ser para elogiar. Ora! Quem engordou sabe perfeitamente disso! Tem espelho em casa. Tem que tirar a roupa pelo menos na hora do banho. Tem calças apertadas no canto do armário. Tem, como eu, uma balança incisiva, que diz “suba, suba” a cada visita ao banheiro. Na verdade, já me acostumei com meu peso cíclico. Eu começo o ano bem satisfeita. Verão, tempo de comer abacaxi, viajar para a praia, usar minissaia... Emagreço sem muito esforço. Aí vem o Carnaval, melhor ainda. As roupas já estão largas, tenho até que comprar outras novas, tamanho P dessa vez. Chega então a Semana Santa, e é exatamente quando meu pecado começa. A Páscoa deveria ser proibida! Principalmente em uma família grande como a minha, em que todo mundo troca ovos de chocolate. Logo depois vem o inverno (tinha que se chamar “inferno”, com seus vinhos tintos, fondues de queijo, talharins ao molho branco, chocolates quentes...), e, com ele, vêm os quilos a mais que, invariavelmente, eu ganho nessa época. Lá para setembro, sempre alguma das minhas amigas resolve se casar, e aí começa o desespero para entrar no vestido de festa. Quando assusto, faltam só dois meses para o verão e, então, começo com a obsessão. Fico dias tomando só iogurte diet, na melhor das hipóteses. Não recomendo essa dieta pra ninguém, já até desmaiei por causa disso... mas pelo menos no réveillon eu estava com cada curva em seu devido lugar. Pena que eu sempre me encontro com aquela amiga indiscreta no meio do ano, quando tudo o que me resta é matá-la com o olhar e culpar o inverno. Mas para o próximo ano eu já agendei. No dia 1º de janeiro vou fazer-lhe uma visitinha, desejar boas-entradas, com aquele meu vestidinho justo que só entra no verão. Se ela me fuzilar com os olhos, estarei vingada! Ah, sim, caso você esteja curioso para saber meu peso, vai continuar curioso. Mas posso te garantir que os meus quilos, seja no inverno ou no verão, são muito bem distribuídos para a minha altura... Pelo menos minha autoestima não é sazonal.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave