Wawrinka derruba Nadal em Roma, Djokovic e Federer vão às semi

'Rei do Saibro' sofreu mais um crime de lesa-majestade nesta sexta-feira, ao ser eliminado nas quartas de final

iG Minas Gerais | AFP |

Wawrinka travou verdadeira batalha diante de Gasquet
Divulgação / ATP
Wawrinka travou verdadeira batalha diante de Gasquet

A má fase de Rafael Nadal parece não ter mais fim: a menos de duas semanas do início de Roland Garros, o 'Rei do Saibro' sofreu mais um crime de lesa-majestade nesta sexta-feira, ao ser eliminado nas quartas de final do Masters 1000 de Roma por Stanislas Wawrinka.

Na reedição da final do Aberto da Austrália do ano passado, também vencida pelo suíço, 'Stanimal' levou a melhor em dois sets, com parciais de 7-6 (9/7) e 6-2, em 2h05 de jogo.

Wawrinka enfrentará nas semifinais o compatriota Roger Federer, número dois do mundo, que superou o tcheco Tomas Berdych (N.6) com autoridade por duplo 6-3.

"É sempre muito especial enfrentar Roger, porque somos do mesmo país, e vivemos muita coisa juntos dentro e fora de quadra, como a medalha de ouro nas duplas nos Jogos Olímpicos (em Pequim-2008) e o título na Copa Davis (em novembro do ano passado)", disse ele.

Em busca de ritmo de jogo no saibro na reta final antes do Grand Slam parisiense, Federer mostrou-se satisfeito com o desempenho diante de Berdych.

"Uma vitória como esta me dá ótimas sensações, e confirma que estou no caminho certo", comemorou o suíço anos depois da partida.

"Geralmente, sempre jogo meu melhor tênis no saibro duas ou três semanas antes de Roland Garros", ressaltou.

Único tenista campeão de Roland Garros em meio à hegemonia de Nadal, em 2009 (Nadal conquistou todos os títulos de 2005 a 2014), Federer ainda considera o espanhol o grande favorito do Grand Slam parisiense, apesar da queda de rendimento neste ano (só conquistou um título, em Buenos Aires).

"Sinto muito, mas um cara que perdeu apenas uma vez em dez edições deste torneio só pode ser o favorito", opinou o suíço.

Djokovic em 3 sets, de novo

Considerado o grande favorito por muitos observadores, o sérvio Noval Djokovic, que nunca foi campeão em Roland Garros, suou para derrotar o japonês Kei Nishikori (N.5).

Como aconteceu nas duas primeira rodadas, contra o espanhol Nicolas Almagro e o brasileiro Thomaz Bellucci, o número um do mundo precisou de três sets para fechar a partida.

Eliminou Nishikori com parciais de 6-3, 3-6 e 6-1, dando o troco da derrota que sofreu para o japonês em setembro do ano passado, na semifinal do US Open.

"Todas as partidas que disputei até agora no torneio foram apertadas, mas consegui encontrar uma boa intensidade, e, mesmo com altos e baixos, saí vencedor", comentou o líder do ranking.

"Sinceramente, não estou jogando tão bem quanto em Monte Carlo (foi campeão), mas, bem ou mal, estou nas semifinais", completou.

O sérvio disputará uma vaga na decisão com espanhol David Ferrer (N.7), que mais cedo superou o belga David Goffin, também em três sets, por 6-2, 4-6 e 6-3.

No feminino, a romena Simona Halep, número dois do mundo, não teve piedade para a compatriota Alexandra Dulgheru, que massacrou por 6-1 e 6-0.

Já a russa Maria Sharapova (N.3) superou Victoria Azarenka, de Belarus, por 6-3 e 6-2.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave