Raposa evita escolher adversário e espera definição sobre rival

Imbróglio envolvendo Boca Juniors e River Plate impediu o Cruzeiro de conhecer na última quinta-feira seu oponente

iG Minas Gerais | GUILHERME GUIMARÃES |

ESPORTES BH MG: TREINO DO CRUZEIRO NA TOCA DA RAPOSA II NA TARDE DESTA SEXTA FEIRA. NA FOTO: MIKE

FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO / 08.05.2015
DENILTON DIAS / O TEMPO
ESPORTES BH MG: TREINO DO CRUZEIRO NA TOCA DA RAPOSA II NA TARDE DESTA SEXTA FEIRA. NA FOTO: MIKE FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO / 08.05.2015

A diretoria do Cruzeiro aguarda a definição do adversário das quartas de final da Copa Libertadores para finalizar a logística de viagem visando ao confronto que abre a batalha por uma vaga nas semifinais da competição continental. A única coisa que se sabe no momento é que o adversário será um argentino, Boca Juniors-ARG ou River Plate (ARG), dois clubes envolvidos em uma enorme confusão e que tiveram o jogo suspenso na última quinta-feira, por conta de uso de spray de pimenta nos jogadores dos “Milionários”, no estádio La Bombonera, em Buenos Aires.

Enquanto a diretoria celeste espera a definição da Confederação Sul-Americana de Futebol sobre o incidente ocorrido entre os rivais hermanos – Boca pode até ser eliminado -, os jogadores da Raposa se unem no discurso de “o adversário que vier estaremos preparados”.

“Toda a equipe que pensa em ser campeã não pode escolher adversário. Temos que ir com tudo, fazer sempre bons jogos e buscar sempre a vitória. Temos que descansar para fazermos uma excelente partida e alcançar um bom resultado”, frisa o lateral-direito Mayke, autor da assistência para o gol de Leandro Damião na vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo.

Caso o rival celeste nas quartas de final seja o River Plate, o primeiro duelo acontecerá na Argentina, uma vez que o Cruzeiro teve melhor aproveitamento na fase de classificação da Libertadores. Dessa forma, como atua neste domingo contra o Santos, em São Paulo, a delegação celeste deixaria o litoral paulista rumo à Argentina logo após o confronto com o Peixe.

Se o Boca Juniors não sofrer duras sansões da Conmebol e, em campo, conseguir sua classificação – perdeu o primeiro jogo por 1 a 0 -, virá a Belo Horizonte enfrentar os celestes na partida de ida das quartas de final. Sendo assim, os cruzeirenses deixariam o interior de São Paulo e voltariam à capital mineira, onde pegariam os xeneizes no Mineirão.

“A história fala muito, mas no dia do jogo pode mudar tudo. Vamos treinar bem, pensando em qualquer um dos dois times. Estamos mentalizando para nos classificar e jogar a semifinal”, disse o experiente lateral chileno Eugenio Mena. 

Leia tudo sobre: cruzeiroraposariver platelibertadoresboca juniorsla bomboneramaykemena