Abstracionismo vívido de cores e formas

Nipo-brasileiro, o pintor exibe em em Belo Horizonte criações produzidas entre 2011 e 2015

iG Minas Gerais | carlos andrei siquara |

Exposição reúne pinturas que refletem diálogos do artista com elementos da cultura japonesa e ocidental
Tina Carvalhaes
Exposição reúne pinturas que refletem diálogos do artista com elementos da cultura japonesa e ocidental

A obra de Wakabayashi, 84, para o crítico de arte Olívio Tavares de Araújo, se encontra no universo do abstracionismo lírico, representado, por exemplo, por Kandinsky. Japonês radicado no Brasil desde a década de 1960, ele mostra em Belo Horizonte a continuidade do seu trabalho, marcado pelas experimentação de cores, formas e materiais, em exposição na Errol Flynn Galeria.

De acordo com o curador Errol Flynn Junior, a iniciativa é valiosa pela importância da contribuição do pintor. “Junto com Manabu Mabe (1924-1997) e Tohmie Ohtake (1913-2015), ele está, com certeza, entre os maiores”, diz Junior que acrescenta o momento de maturidade de Wakabayashi. “Notamos que, com sua vasta experiência, ele domina a técnica e a linguagem que constrói”, conclui.

Serviço. “Wakabayashi”, de hoje a 6/6, na Errol Flynn Galeria de Arte (rua Alagoas, 977, Savassi), de 2ª a 6ª, das 9h às 19h; sáb., das 9h às 13h.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave