Empresa transforma restos de alimentos em energia limpa

Material é triturado na cozinha e vira matéria prima para digestão anaeróbia

iG Minas Gerais | Diane Cardwell |

Cozinha. Resíduos pré-consumo são triturados e viram pasta que será matéria-prima para energia
MICHAEL F. MCELROY
Cozinha. Resíduos pré-consumo são triturados e viram pasta que será matéria-prima para energia

Cleveland, EUA. Bem antes do início de um jogo do Cleveland Indians no estádio Progressive Field, enquanto os jogadores se aqueciam em campo, mais um dia comum transcorria na garagem atrás do campo para o lavador de pratos C.L. Gholston.

Ele empurrava carrinhos cheios de restos de comida – cascas de abacaxi e de melão, raspas de cenoura e extremidades de tomate – usados na mistura que alimenta a engenhoca que ele chama de “máquina de energia”.

Construída pela InSinkErator, fabricante de trituradores de lixo, a máquina processa todos os tipos de resíduos de alimentos, incluindo pele, gordura, carne e osso, transformando-os em uma pasta que depois vira energia e adubo em uma fábrica operada pela empresa de energia renovável Quasar (conheça o processo no infográfico).

Agora que o governo norte-americano e a indústria buscam reduzir as emissões de metano, gás que retém mais calor que o dióxido de carbono, limitando a quantidade de resíduos orgânicos em aterros sanitários, grandes processadores de alimentos estão à procura de novas maneiras de se livrar de suas sobras.

A parceria entre o Quasar e InSinkErator parece ser a solução perfeita. A tecnologia é fruto de anos de pesquisa e desenvolvimento das duas empresas.

Os gerentes da InSinkErator buscavam o potencial de digestão anaeróbia e produção de energia nas estações de tratamento de águas residuais – e encontraram a Quasar, empresa que crescia rapidamente e que estava incubando seus negócios no campus de pesquisa agrícola da Universidade Estadual de Ohio, em Wooster, que tinha por objetivo construir uma rede digestora em todo o país.

“Uma das coisas que eles buscavam era a matéria-prima orgânica consistente e com baixo teor de contaminação, mas que tivesse alto conteúdo energético em termos de potencial de metano. A tecnologia no local de geração de matéria-prima foi meio que a peça que faltava para desenvolver um modelo eficiente”, disse Matt Whitener, gerente geral da divisão Grind2Energy da Emerson, empresa controladora da InSinkErator.

Os torcedores dos Indians que fazem suas refeições lá não sabem qual é o destino da sobra de seus picles e cheeseburgers, mas manifestaram seu apoio ao programa. “É melhor isso do que mandar tudo para o aterro – reutilização, energia, isso é muito legal. Energia eólica, solar – qualquer independência que você possa obter do Oriente Médio é boa”, disse Jim Vanco, 57, corretor de imóveis comerciais.

Tecnologia

Restos. A habilidade de transformar matéria orgânica em energia já existe há algum tempo, mas, graças à dificuldade de acesso a restos de alimentos separados do lixo comum, o material ainda não era usado.

Campanha no Brasil quer reciclar esponjas de cozinha Com o objetivo de minimizar a quantidade de esponjas descartadas de forma inadequada, a Scotch-Brite e a TerraCycle lançaram neste mês a campanha Limpando Minha Casa, que vai premiar os dez times que mais coletarem esponjas de limpeza de uso doméstico usadas, independente da marca, no período de 6 de abril a 26 de junho de 2015. As esponjas usadas recolhidas serão transformadas em resina industrial, que será reinserida na cadeia produtiva por meio da injeção na estrutura de novos produtos, como pás de lixo, lixeiras, suportes de notebook, entre outros. A iniciativa também assume um compromisso social por meio das doações promovidas conforme a arrecadação de resíduos. A cada esponja enviada à TerraCycle, o consumidor soma 2 pontos, convertidos em R$ 0,02. Todo o valor juntado é doado a uma escola ou instituição sem fins lucrativos, à escolha dos próprios participantes.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave