Longa viagem é mais um obstáculo para o América na briga pelo acesso

Coelho percorrerá quase 1.00 km até o Mato Grosso, onde enfrenará o Luverdense pela segunda rodada da Série B

iG Minas Gerais | ANTÔNIO ANDERSON |

Além das longas viagens, time americano também se divide em duas competições: Série B e Copa do Brasil
AMÉRICA/DIVULGAÇÃO
Além das longas viagens, time americano também se divide em duas competições: Série B e Copa do Brasil

As dimensões continentais do Brasil são mais um desafio do América em sua campanha para tentar voltar à elite do futebol brasileiro. Antes de enfrentar o Luverdense neste sábado, em jogo válido pela segunda rodada da Série B, o Coelho terá de percorrer os 1.488,40 km que separam as cidades de Belo Horizonte e Lucas do Rio Verde (MT), local onde será realizada a partida.

O desgaste com a longa viagem é uma das preocupações da comissão técnica do América. Pensando nisto, o clube fez um planejamento que visa reduzir o tempo de viagem até a cidade mato-grossense. A delegação americana embarca na manhã de hoje em um voo de Belo Horizonte até Cuiabá. De Cuiabá, o América pega outro voo até Sinop, cidade que fica localizada há 147 km de Lucas do Rio Verde.

Depois, a delegação vai viajar cerca de 2h30 de ônibus até Lucas do Rio Verde. O planejamento elaborado pelo alviverde vai gerar custos para o clube. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) arca com as despesas das passagens aéreas. Nesta viagem, a entidade definiu a viagem até Cuiabá. Para viajar de Cuiabá até Sinop, o América pagou a diferença.

Se fosse mantida a programação, a delegação americana ainda viajaria de ônibus cerca de 5h30 de Cuiabá até Lucas do Rio Verde. “Realmente é desgastante, mas estamos viajando praticamente na véspera do jogo e isso é importante para que o grupo possa se adaptar o mais rapidamente as situações que vamos encontrar na cidade”, afirmou o preparador físico do América, Wellington Vero.

“Felizmente, moramos em um país tropical. Um dia você joga lá no Nordeste, com muito calor, e outro no Sul, com frio. Essa é a grande preocupação com os nossos jogadores, e para evitar problemas nós os orientamos quanto a alimentação, para tomar muito líquido e quanto ao descanso. Assim, eles não sentem tanto essas longas viagens”, destacou Wellington Vero.

Leia tudo sobre: americacoelhoserie bfutebolviagemluverdense