Moro rejeita denúncia de Ministério Público contra executivos

A decisão do juiz benefícia os acusados de ações penais que já haviam sido instauradas a partir de denúncias criminais oferecidas pelo Ministério Público Federal

iG Minas Gerais | da redação |

Moro manda soltar sócios da Arxo presos na Lava Jato
J. F. DIORIO/ESTADÃO CONTEÚDO - 11.9.2008
Moro manda soltar sócios da Arxo presos na Lava Jato
A denúncia do Ministério Público Federal contra sete executivos e engenheiros das empreiteiras OAS e Mendes Jr. foi rejeitada pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pela condução de ações penais da Operação Lava Jato. As duas empresas são suspeitas de estarem envolvidas no esquema de cartel em contratos bilionários da Petrobras.   A decisão do juiz benefícia os acusados de ações penais que já haviam sido instauradas a partir de denúncias criminais oferecidas pelo Ministério Público Federal, como Luiz Ricardo Sampaio de Almeida, Marcus Vinicius Holanda Teixeira, Renato Vinicios de Siqueira, todos da OAS, além de José Humberto Cruvinel Resende, Francisco Claudio Santos Perdigão, Vicente Ribeiro de Carvalho e José Américo Diniz, representantes da Mendes Júnior.   A decisão de Moro foi tomada, nesta terça-feira (12), um dia após interrogar o engenheiro Cruvinel Rezende, da empreiteira Mendes Júnior, no qual ele afirmou estar se sentindo enganado, enquanto falava sobre o contrato assinado com GFD Investimentos, empresa utilizada por Alberto Youssef para dar fluxo de dinheiro de propinas a políticos.Rezendo afirmou que não sabia que a empresa do doleiro era de fachada.

Leia tudo sobre: lava jatolavajatoSérgio MoroOASmendes Júnior