Padrasto de menina de 10 anos que está grávida é preso

iG Minas Gerais |

Benitez Gilberto Zarate, 42, nega ter abusado de sua enteada
NORBERTO DUARTE
Benitez Gilberto Zarate, 42, nega ter abusado de sua enteada

ASSUNÇÃO, Paraguai. A polícia paraguaia prendeu, neste fim de semana, o padrasto de uma menina de 10 anos grávida cujo pedido de aborto tem causado comoção ao redor do mundo.

O padrasto da menina, que supostamente abusou sexualmente dela, estava foragido da Justiça há duas semanas e foi detido na madrugada de sábado na cidade de Caazapá, cerca de 200 km à sudeste de Assunção, conforme informou a polícia em sua página no Facebook.

“Foi detido um cidadão paraguaio maior de idade que seria o autor do caso de abuso sexual a uma menina de 10 anos, de quem ele seria padrasto”, informou o comunicado da polícia, que encaminhará o suspeito à Justiça.

Benitez Gilberto Zarate, 42, requisitou um exame de DNA para determinar a paternidade do feto. O padrasto da garota negou, de acordo com a mídia local, que cometeu o crime e disse que nunca tocou na menina. Ele acrescentou que não era um fugitivo e que estava apenas viajando para visitar parentes.

Aborto negado. No mês passado, as autoridades de saúde paraguaias rejeitaram um pedido de aborto para a menina, grávida de cinco meses, cujo caso tem chamado a atenção de todo o globo. O órgão afirmou que a saúde da menina não está em risco. No entanto, o desejo da família da menina tem sido respaldado por organizações como a Anistia Internacional, que lançou uma campanha mundial para salvar a vida da garotinha, que corre o risco de morrer no parto.

Acusada de não ter impedido o abuso da filha, a mãe da garota está em prisão preventiva até que sejam concluídas as investigações e foi encaminhada para o presídio feminino de Assunção.

O Ministério da Saúde do Paraguai informou que 680 meninas com idades entre 10 e 14 anos se tornaram mães em 2014 no país.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave