Serviço doméstico volta a subir

iG Minas Gerais | Ludmila Pizarro |

RIO DE JANEIRO. A crise econômica pela qual o país passa está levando mais trabalhadores para o emprego doméstico, depois de um longo período de abandono dessa profissão. Dados do IBGE mostram que o contingente de empregados na área aumentou em 1,6% no primeiro trimestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. Para o coordenador de trabalho e rendimento do IBGE, Cimar Azeredo, esse movimento está ligado à conjuntura econômica mais difícil.

“Eu acho que está muito mais relacionado à falta de emprego em outros grupamentos de atividade do que propriamente relacionado a PEC das Domésticas, que tem um efeito de modificar a estrutura do emprego doméstico, mas a quantidade não. Eu acho que o que acontece é que você tem falta de oportunidades em outros grupamentos de atividade mesmo. O emprego doméstico acaba se transferindo para emprego de portaria, de conservação em limpeza, e como esses grupamentos não contratam, consequentemente isso vai se reverter em oportunidades informais”, afirmou.

Pedagoga aguarda vaga Daniela Carvalho, 41, é pedagoga e está sem trabalhar há dois anos e meio. Para ela, a principal dificuldade é arrumar um emprego na área em que atuava. “Sempre estou de olho em anúncios, alguns editais, mas confesso que o que realmente gosto na minha área, que são projetos sociais, oficinas pedagógicas e formação docente, é mais difícil”. Ela acredita que arrumar um emprego hoje é mais difícil do que na época em que deixou de trabalhar.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave