Empresários são presos por fraude em licitação para shows no Sul de MG

Seis suspeitos fazem parte de quadrilha, segundo o Ministério Público de Minas Gerais; uma arma foi apreendida

iG Minas Gerais | Da Redação |

Seis empresários foram presos, nesta quinta-feira (7), durante a Operação VIP, que pretende desmantelar quadrilha envolvida em fraudes em licitações para contração de shows artísticos no Sul de Minas. 

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Nepomuceno, do Grupo Especial de Promotores de Justiça de Defesa do Patrimônio Público (Gepp), do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco-Varginha) e do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Combate ao Crime Organizado e de Investigação Criminal (Caocrimo), deflagrou nesta manhã, a segunda fase da operação.

O objetivo da ação foi colher provas e informações para subsidiar investigação que apura a atuação de quadrilha especializada em crimes de licitações no sul de Minas, com o envolvimento de empresários do ramo de shows artísticos.

Foram cumpridos seis mandados de prisão temporária e 11 mandados de busca e apreensão, nos municípios de Nepomuceno, Ilicínea e Machado. A operação contou com o apoio da Polícia Militar. Participaram do planejamento e execução das diligências cinco promotores de Justiça, 18 servidores do MPMG e 52 policiais militares.

Durante as buscas, além de documentos que interessam à investigação em curso, foi apreendida uma arma de fogo.

Operação VIP

No ano de 2013 o MPMG iniciou investigações para apurar fraudes na contratação de shows artísticos e locação de estruturas temporárias (palco, banheiros químicos, etc) na região de Lavras, identificando a participação de prefeitos, servidores públicos e empresários em mais de 40 municípios.

Em outubro de 2013 foi deflagrada a primeira fase da Operação VIP, que culminou na propositura de ações de improbidade administrativa e ações criminais na comarca de Lavras, com a colaboração premiada de um dos empresários envolvidos.

Visando à desarticulação dos grupos que atuavam na região, o MPMG prosseguiu no acompanhamento estratégico dos criminosos, que culminou na segunda fase da Operação VIP. As medidas executadas nesta quinta-feira fazem parte de uma nova etapa das investigações e têm o objetivo de identificar as pessoas com envolvimento nas práticas ilícitas e os métodos fraudulentos empregados, além de apurar os valores indevidamente auferidos.

Leia tudo sobre: operação VIPinvestigaçãoempresáriospresosshowsfraudelicitação