PM é morto em comunidade que vai receber UPP

Agente foi atingido nas costas no momento que saiu do veículo blindado

iG Minas Gerais | Folhapress |

Um policial militar morreu após ser baleado na tarde desta segunda-feira (4) durante uma operação da PM no Complexo do Chapadão, no bairro de Costa Barros, na zona norte do Rio de Janeiro. A morte ocorre menos de uma semana após o anúncio de que a área será a próxima a receber uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

De acordo com a Polícia Militar, o agente, que pertencia ao Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 41º BPM (Irajá), foi atingido nas costas no momento que saiu do veículo blindado. Ele chegou a ser socorrido mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O nome do policial não foi divulgado.

Ainda segundo os militares, durante a ação três suspeitos foram presos. Dois ficaram feridos após uma troca de tiros e foram encaminhados para o Hospital Carlos Chagas, no bairro de Marechal Hermes, na zona norte da cidade. Com eles, foi encontrada uma arma, drogas e munições. O material apreendido foi encaminhado para a 39ª DP (Pavuna), onde o caso foi registrado.

A região do Complexo do Chapadão se tornou uma das áreas mais violentas do Rio e vem sendo alvo de uma disputa entre traficantes rivais que lutam pelo domínio dos pontos de vendas de drogas.

Em razão dos conflitos, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, anunciou na semana passada que a próxima UPP será instalada na favela. Ele não definiu prazo para a criação da unidade.

A área é dominada pelo criminoso Celso Pinheiro Pimenta, conhecido como Playboy, que é o chefe do tráfico na região. O Disque-Denúncia está oferecendo uma recompensa de R$ 50 mil por informações que levem ao paradeiro do suspeito.

A quadrilha comandada por Playboy teria sido responsável pelo roubo de 193 motos de dentro de um depósito de uma empresa que presta serviço para o Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio (Detro), órgão do governo do Estado, no início do ano.

O traficante também é conhecido por mostrar seu poderio bélico nas redes sociais. Um dos casos ocorreu quando a quadrilha de Playboy invadiu a Vila Olímpica Félix Mielli Venerando, em Honório Gurgel e tirou fotos na piscina ostentando três fuzis.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave