Anvisa não divulga casos registrados

O órgão ressalta que os medicamentos devem ser vendidos sob a prescrição médica e que as pílulas devem se adequar a cada paciente

iG Minas Gerais |

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informa, por meio de nota, que médicos e vítimas não são obrigados a notificar problemas detectados com medicamentos, mas podem registrar seus efeitos adversos por meio da Ouvidoria ([email protected]) ou pelo número Anvisa Atende (0800 642 9782). Já hospitais e serviços de saúde são obrigados a fazer notificações. No entanto, o orgão não divulgou o número de casos registrados.

O órgão ressalta que os medicamentos devem ser vendidos sob a prescrição médica e que as pílulas devem se adequar a cada paciente. “Antes do início do uso de contraceptivos, deve ser realizado minucioso histórico individual da mulher, seu histórico familiar e um exame físico, incluindo determinação da pressão arterial. Exames das mamas, de fígado, das extremidades e de órgãos pélvicos também devem ser conduzidos”, diz o órgão, em nota.

“O papanicolau também deve ser realizado. Esses exames clínicos devem ser repetidos pelo menos uma vez por ano durante o uso de medicamentos contraceptivos. Dessa forma, a indicação médica é adequada ao perfil individual do paciente”, completa a nota. Segundo a Anvisa, por enquanto, não há previsão de mudanças de regulamento para a comercialização dos anticoncepcionais no país.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave