Guilherme 'livra a própria barra' e comemora em dose dupla

Camisa 10 se recuperou de pênalti desperdiçado e deu assistência para o gol da classificação alvinegra

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Guilherme teve nome gritado pela torcida ao ser substituído
BRUNO CANTINI/ATLÉTICO
Guilherme teve nome gritado pela torcida ao ser substituído

Depois que passa, parece engraçado. Mas, as viradas dramáticas do Atlético ganham, a cada capítulo, doses de terror. Desta vez, teve até pênalti perdido aos 22 minutos do segundo. Guilherme, que, após a falha, correu o risco de se tornar o vilão do jogo, acabou se redimindo com o passe para o gol de Rafael Carioca e conseguiu 'livrar a barra' com a Massa.

O camisa 10 do Galo ganhou a chance de ser titular depois das atuações decisivas nos jogos passados, mas não rendeu tanto. Porém, mostrou maturidade para se recuperar do pênalti desperdiçado, explorou a visão de águia que tem e achou Carioca livre para marcar o gol da classificação em uma jogada que muitos deram como perdida – ele foi buscar uma bola que por pouco não saiu pela lateral.

“Eu acho que o mais importante naquele momento foi manter o equilíbrio. Somos profissionais, estamos sujeitos a esse tipo de situação, acertos e erros. Eu errei, o goleiro defendeu, mas o mais importante é o equilíbrio mental e restavam ainda dez, quinze minutos e o time precisa de mim. Então, eu acho que foi graças a esse equilíbrio que eu tive a felicidade de encontrar o Rafael e ele com muita competência. Graças a Deus eu livrei minha barra aí”, declarou.

Guilherme comentou também sobre o fato curioso de o Galo acumular classificações conquistadas na base da superação. O meia-atacante frisou que este cenário não é o ideal, mas, que, espera manter a sequência de vitórias, seja como for.

“Curiosamente isso tem acontecido. Não é algo que a gente quer. Eu havia dito que, pelo menos uma vez, todas as pessoas tem que fazer um exame cardiológico, mas o torcedor atleticano cada mês tem um. Mas tem sido assim, a gente tem conseguido, claro que não podemos esperar que seja sempre aqui, mas se continuar acontecendo assim e a vitória vier, que seja da vontade de Deus”, concluiu.

Leia tudo sobre: atleticogaloguilhermepenaltilibertadoresfutebolgol