Mineira cria app que poupa água e ganha bolsa em universidade na Nasa

Mariana Vasconcelos, de 23 anos, é moradora de Itajubá, e foi selecionada entre mais de 500 pessoas para representar o Brasil como bolsista na Singularity University

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Mariana Vasconcelos foi selecionada entre mais de 500 pessoas para representar o Brasil como bolsista na Singularity University
Divulgação/Agrosmart
Mariana Vasconcelos foi selecionada entre mais de 500 pessoas para representar o Brasil como bolsista na Singularity University

A mineira Mariana Vasconcelos, de 23 anos, criou o  aplicativo Agrosmart, que conecta o agricultor à sua plantação, reduzindo o consumo de água na irrigação. Por conta disso, a administradora ganhou uma bolsa  para estudar em uma universidade na Califórnia ligada à Agência Espacial Americana (Nasa).

Segundo o "G1", a moradora de Itajubá foi selecionada entre mais de 500 pessoas para representar o Brasil como bolsista na Singularity University.  A instituição funciona em um centro de pesquisa da Nasa no Vale do Silício, na Califórnia, e selecionou empreendedores de 19 países para seu programa de imersão “Call to Innovation”.

Mariana foi criada na fazenda do pai e, ainda de acordo com o "G1", a mineira desenvolveu o aplicativo em 2014, para tornar as plantações mais inteligentes. A tecnologia utiliza sensores espalhados pelo campo, que avaliam a umidade do solo e a presença de pragas. Assim, os dados são interpretados pelo aplicativo, que indica ao agricultor os intervalos de irrigação e outras variáveis em tempo real.

A tecnologia promete uma economia de água de até 60%. A mineira explica que além de economizar água, o aplicativo também gera economia de energia elétrica e aumento da produtividade.

Até o momento, o Agrosmart é usado apenas em duas fazendas de Minas Gerais, como teste. De acordo com Mariana, em maio deve começar a ser comercializado.

A mineira vai para os Estados Unidos em junho e a bolsa inclui as despesas com passagem, hospedagem e alimentação. Quando retornar, Marina terá direito a fazer um MBA na faculdade de tecnologia Fiap, que representa o programa da Singularity no Brasil.

Leia tudo sobre: MineiraMariana VasconcelosAgrosmartbolsauniversidadeNasa