Comunicação da Petrobras na mira

iG Minas Gerais |

CURITIBA. Os contratos de comunicação da Petrobras estarão na mira da Lava Jato, a partir das descobertas da 11ª fase da investigação, deflagrada na sexta-feira. A suspeita é de que o modelo de desvios de até 10% em contratos de publicidade da Caixa Econômica Federal e do Ministério da Saúde, entre 2011 e 2014, tenha sido replicado na estatal petrolífera.

Batizada de A Origem, a mais recente etapa da Lava Jato detectou o uso de empresas legais e de fachada em um esquema que beneficiou o ex-deputado paranaense André Vargas, que foi vice-presidente da Câmara e secretário de Comunicação do PT na período investigado.

O ponto de partida da nova frente de investigações na Petrobras serão as empresas LSI, Limiar e IT7 (da área de tecnologia) - controladas por Vargas e usadas para os desvios na Caixa e na Saúde, segundo a Lava Jato. Um inquérito aberto no fim de 2014 para a área de Comunicação na petrolífera servirá para centralizar as apurações.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave