Paquistão libera suposto mentor de ataques de 2008 na Índia

Justiça pasquistanesa libertou sob fiança Zaki-ur-Rehman Lakhvi; ele é suspeito de participar de ataque que deixou 166 pessoas mortas em centro financeiro de Mumbai

iG Minas Gerais | Folhapress |

A Justiça do Paquistão libertou nesta sexta-feira (10) sob fiança Zaki-ur-Rehman Lakhvi, suspeito de ser um dos autores do atentado ao centro financeiro de Mumbai, na Índia, que deixou 166 pessoas mortas em 2008.

A libertação pode abrir nova crise diplomática entre os vizinhos indianos e paquistaneses, meses após os países enfrentarem a onda de violência mais grave da década na região disputada da Caxemira. Segundo as autoridades paquistanesas, Lakhvi foi levado a um local secreto por questão de segurança. A soltura foi autorizada depois que a Suprema Corte de Lahore emitisse um habeas corpus para o suspeito.

Na visão dos magistrados, a detenção era ilegal devido à inconsistência das provas apresentadas para acusá-lo de sequestro, crime ocorrido anos antes do ataque. Em março, o governo emitiu uma nova ordem de prisão contra ele.

Diante da libertação, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores indiano, Syed Akbarrudin, disse que a decisão judicial fere o acordo entre os dois países para impedir o trânsito de terroristas.

O suposto mentor dos atentados de Mumbai foi preso e solto diversas vezes desde 2009. Ele é um dos principais líderes do grupo terrorista Lashkar-e-Toiba, organização acusada de ter feito o ataque.

Leia tudo sobre: PaquistãomentorataquesÍndiaMumbaicentro financeiro